SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER
Nacionais
Crise leva famosos a baixar cachet
Presenças em festas
  • Partilhe
26/11/2011 11H41
Rita Pereira

Há um ano, era impensável para Rita Pereira ser a estrela de uma festa sem levar para casa cerca de três mil euros. A actriz da TVI é das mais bem pagas pelas marcas para promover os seus produtos mas, como a crise toca a todos, foi obrigada a baixar o seu cachet. A Vidas sabe que a ‘Helena' da novela ‘Remédio Santo' esteve recentemente na inauguração de um espaço que aceitou promover por 1500 euros, metade do valor que cobrava em 2010.

"A Rita foi obrigada a baixar o valor do cachet, assim como todos os famosos que fazem presenças. Este ano paga-se menos 50% do que no ano passado e, por exemplo, um actor como o Isaac Alfaiate, que nunca cobrava menos de mil euros para estar numa inauguração, agora já o faz por 500", conta uma relações-públicas, que preferiu manter no anonimato "para não estragar o negócio".

Entre os famosos contactados pela Vidas, ninguém, à excepção de Rita Pereira, aceitou falar sobre o assunto. A actriz da TVI resumiu a sua verdade numa só palavra: "desminto". E apenas uma apresentadora acedeu a dar a sua opinião, mas, claro, anonimamente. "É verdade que agora se ganha menos para aparecer. Além disso, também há menos convites para ir aos eventos", diz, numa versão partilhada pela maioria dos relações-públicas.

"Há não muito tempo, era impensável algum famoso promover uma discoteca ou marca por menos de 500 euros, mas agora até já o fazem por metade do preço. Têm consciência de que os clientes também estão a sofrer com a crise e quase todos aceitam o cachet", conta outra relações-públicas, sublinhando: "Uma pessoa que já tenha participado numa telenovela, mas que agora não esteja a fazer nada na televisão, como por exemplo a Joana Alvarenga, aceita estar num evento por 250 euros".

PRESENTES

Um telemóvel topo de gama, umas botas de 250 euros, relógios, roupa ou até o enxoval para os bebés são motivos suficientes para os famosos darem a cara por um evento da marca. Muitas vezes, a presença de figuras como Sofia Arruda ou Vanessa Oliveira é paga em produtos e ninguém parece incomodado com o assunto. "Há eventos em que eles não recebem dinheiro, mas sim jóias, botas ou produtos relativamente valiosos. Isso é meio caminho andado para cativar os famosos a marcar presença num determinado espaço. Há alturas em que com um produto eles conseguem receber mais do que com o seu próprio cachet".

O cenário continua a ser lucrativo para a maioria das figuras públicas, mas antes era muito mais, já que os convites de marcas e particulares sucediam-se.

MENOS CONVITES

"Posso dizer que há muito tempo que não faço presenças, por isso não tenho noção dos valores que se praticam agora. Mas no passado cheguei a fazer coisas tão insólitas como marcar presença num casamento de desconhecidos, no Norte, que me pagaram a mim e à Merche Romero só para lá estar. Lembro-me que, na altura, o valor era 750 euros. Havia muitos convites para discotecas e até me lembro de me terem pago para promover uma marca de construção civil", conta, bem-disposta, a então ‘menina da meteorologia' Alexandra Fernandes.

Hoje, os convites diminuíram e, face à crise, há mesmo quem aceite marcar presença num evento praticamente de borla. "Há quem concorde ir para o Norte promover uma discoteca se lhe pagarem a deslocação, o hotel e uma refeição. Nesse caso, não cobram cachet. São as chamadas figuras públicas de segunda linha, mas a verdade é que há cada vez mais famosos que vão de borla. Ficam satisfeitos por ir, só pelo facto de poderem aparecer na comunicação social", explica outro relações-públicas à Vidas, que pede igualmente anonimato.

Porém, o negócio das presenças continua a ser rentável já que, desta forma, os famosos conseguem "aliviar o orçamento mensal com dinheiro extra". Entre festas e patrocínios, há quem receba tantos presentes que nem precisa de ir a lojas. Vanessa Oliveira, com o patrocínio de uma marca de ténis, quase não vai a lojas de desporto. "Não gasto dinheiro em calçado porque tenho patrocínios. Tenho uma grande colecção de ténis", explica quem até recebeu um carro novo de graça, só para promover a marca.

PUBLICIDADE ENGROSSA CONTA BANCÁRIA

Consideradas presenças de topo, Rita Pereira, Diana Chaves, Cláudia Vieira e Mariana Monteiro são as que mais cobram para estar nos eventos. Ainda que tenham baixado o seu cachet em 50%, a verdade é que lideram o top. Além disso, são estrelas de várias marcas. Rita Pereira promoveu a Olá, Cláudia Vieira é rosto da Worten, Diana da Multiópticas e Mariana Monteiro da Seaside.

BÁRBARA É CARA DE PRODUTOS DE BELEZA

Embaixadora da L'Oréal desde 2009, Bárbara Guimarães é presença assídua nos eventos da marca. Com um contrato assinado, a apresentadora da SIC faz questão de não faltar, ainda que não seja obrigada a fazer presenças nestes eventos. Recorde-se que Bárbara Guimarães foi a primeira personalidade portuguesa a promover esta marca de produtos de beleza.

ALEXANDRA PROMOVE CARROS

A elegância e sofisticação de Alexandra Lencastre levou a Seat a convidá-la para ser a embaixadora da marca. A par de Andreia Dinis e Ricardo Pereira, a actriz é um dos rostos dos automóveis, fazendo-se deslocar com um dos modelos da marca. No contrato assinado com a Seat, cujo valor envolvido se desconhece, está especificado o número de eventos em que participa.

CORRIDA AOS EVENTOS

Não é só o dinheiro que atrai os famosos aos eventos. Há rostos conhecidos que, apesar de não receberem cachet, são presença assídua em acontecimentos sociais. Vítor Enes, José Moutinho, Pedro Reis e Maria Duarte são algumas das muitas figuras públicas que aceitam participar num evento mediante, apenas, o pagamento de refeições ou deslocações, caso seja fora da sua área de residência. Em discotecas, por exemplo, as bebidas estão incluídas.

A TELEVISÃO ENCARECE

A televisão é um dos impulsionadores dos cachets. Quem está fora do pequeno ecrã ou com um papel pouco destacado acaba por ter de reduzir o valor das presenças. Os preços que se praticam, neste caso, também passaram para metade. Ou seja, quem cobrava 500 euros recebe agora 250.

PRODUTOS SÃO LUCRO

Muitas vezes o dinheiro é substituído por ofertas, o que atrai igualmente os famosos a marcar presença em eventos. Foi o caso do lançamento das galochas Cubanas. Cinha e Pimpinha Jardim foram receber um modelo deste calçado.

MARC JACOBS DÁ PERFUME

No lançamento do perfume Marc Jacobs, Paulo Pires e a mulher, Astrid Werdnig, abrilhantaram o painel de convidados ilustres. No evento, o casal, tal como os restantes convidados, levou para casa um frasco da nova fragrância.

RELAÇÕES-PÚBLICAS FALAM DA CRISE

Ainda que a crise não seja assumida por todos os relações-públicas, a verdade é que a conjuntura económica actual atingiu esta área. "As pessoas estão agora mais viradas para os eventos ao final do dia do que festas em discotecas", diz João Ribas, relações-públicas do bar Art. Já Maya garante que não tem sentido a crise. "Não baixei os preços que cobro aos clientes, mas também não subi. Trata-se de uma adaptação às exigências do momento", diz a RP.

CACHET PARA METADE

Os VIP que se habituaram a receber cerca de mil euros por uma presença tiveram de se adaptar às exigências do mercado e baixar para metade o seu cachet. Agora, para ter nomes como Isaac Alfaiate, Vanessa Oliveira, Andreia Rodrigues ou Sara Prata nos eventos as empresa têm de se desembolsar qualquer coisa como 500 euros.

Multimédia
adicionar aos favoritos
A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
Partilhe
1
Comente
0
BLOGS, CRÓNICAS & CONSULTÓRIOS
horoscopo
EM DESTAQUE
CARANGUEJO
22 JUNHO - 23 JULHO
OUTROS SIGNOS
a ferver
Copyright 2014 - Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. - Grupo Cofina. Consulte as condições legais de utilização.