A lutar contra o cancro Marco Paulo lamenta não receber mensagens de apoio do governo

Artista lamenta continuar sem receber mensagens de solidariedade de quem tem responsabilidades no país: "Chateado não, mas fico triste".
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
25 abr 2020 • 12:39
Em quarentena desde janeiro, "antes de qualquer português" como diz, por causa de um cancro na mama diagnosticado em dezembro, é junto dos fãs, familiares e amigos que Marco Paulo encontra motivações para lutar. "São eles que me dão força. Recentemente tive um milhão de visualizações e milhares de mensagens no vídeo de Páscoa que partilhei. Fico com vaidade e orgulho."

Ainda assim, há mensagens que continuam sem chegar, sobretudo de quem tem responsabilidades no País, o que o artista de 75 anos lamenta.

"Não estou chateado com ninguém, mas claro que isso me deixa triste. Quando os portugueses se mobilizam para me dar força, vejo que da parte de pessoas de destaque não existe essa disponibilidade para se lembrarem de alguém de quem às vezes se lembram quando precisam. Acho que há alguma hipocrisia, mas não quero forçar nada."

Na memória está ainda o primeiro tumor que venceu em 1996. Na altura, até o Presidente da República mostrou a sua preocupação. "Recebi da parte do Dr.Jorge Sampaio uma mensagem muito generosa que me sensibilizou e me emocionou muito", recorda à ‘Vidas’.

"Não quero falar em nomes, nem em cargos, mas hoje acho estranho determinadas pessoas ainda não terem tido uma palavra amiga." Há vinte e cinco anos, até Amália Rodrigues o visitava no hospital. Hoje, são poucos os colegas de profissão que demonstram a sua solidariedade.

"De tantos artistas que me cumprimentam, foram poucos os que me desejaram as melhoras", revela Marco Paulo. Ainda assim, o cantor valoriza: "Só queria que quem tivesse a passar pelo mesmo problema que eu tivesse metade do apoio que tenho."
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo