"Fingiu afogamento para pedir número”

Alexandre conduz moto4 e revela já ter sido assediado.
Alexandre Galiza tem 21 anos e é estudante de Gestão de Marketing
Alexandre Galiza tem 21 anos e é estudante de Gestão de Marketing
Foto: Ágata Rodrigues
22 jul 2019 • 06:00
CM: Qual a situação mais caricata que viveu nesta praia?
– Foi uma situação que na altura me levou a ficar preocupado porque fui socorrer uma rapariga que parecia que se estava a afogar. Aliás, as amigas estavam a gritar por ajuda. Quando lá cheguei percebi que tudo não passou de uma forma para me pedirem o número de telemóvel. Dei, mas não falei mais com ela porque não se deve brincar com estas coisas.

Considera este um trabalho de sonho?
– É muito gratificante deitar a cabeça na almofada à noite e pensar que fiz a diferença na vida de alguém mas não é aquela vida que as pessoas pensam de passar o dia a apanhar sol e a falar com raparigas. Eu conduzo a moto 4 e dou apoio à praia da Azurara e outras não vigiadas, é puxado.

Já passou por algum momento de aflição?
– Já ajudei uma pessoa e curiosamente não foi na água. Apercebi-me que um colega do bar estava a sufocar e fui socorrê-lo. Apliquei as manobras que aprendi no curso e consegui reverter o estado de paralisia.

Cuidados a ter nesta praia?
– É uma praia sem rochas e ótima para banhos mas cuidado com as correntes. n
Mais sobre
Newsletter
topo