Amber Heard diz que Johnny Depp ameaçou matá-la

Ex-mulher do ator disse que ameaças eram constantes e explícitas.
Johnny Depp e Amber Heard
Johnny Depp, Amber Heard
Johnny Depp, Amber Heard
Festival de Cinema de Palm Springs
amber heard, johnny depp
Johnny Depp e Amber Heard
Johnny Depp, Amber Heard
Johnny Depp, Amber Heard
Festival de Cinema de Palm Springs
amber heard, johnny depp
22 jul 2020 • 18:39

Após ter revelado que Johnny Depp consumia cerveja, vinho, whisky e cocaína ao pequeno-almoço, a ex-mulher do ator, Amber Heard voltou a fazer confissões polémicas. Durante a terceira semana de julgamento do processo de difamação que o ator interpôs contra o tablóide britânico 'The Sun', a atriz afirmou perante o Supremo Tribunal de Londres que a estrela de Hollywood ameaçou matá-la.

Segundo declarações obtidas pela revista norte-americana ‘People’, a ex-mulher do ator afirma que foi abusada fisica e emocionalmente durante uma visita ao ator na Austrália, sentindo-se como uma refém.

"Nós planeámos ficar lá três dias sozinhos, mas foi só quando cheguei é que percebi que estava presa neste lugar remoto, sem meios para sair, e que o Johnny já estava a usar e tinha um saco de drogas", disse.

A atriz de ‘Aquaman’ não se ficou por aqui. "Ao longo desses três dias, houve atos extremos de violência psicológica, física e emocional. Foi a pior coisa pela qual já passei", explicou.

Contudo, a estrela de ‘Piratas das Caraíbas’ tem uma versão diferente, alegando que a atriz o queimou com um cigarro na cara, tendo ainda atirado uma garrafa para cima do ator, cortando-lhe um dedo.

No seu depoimento, a atriz de 34 anos contou ainda que Johnny Depp ameaçou matá-la várias vezes, sobretudo no fim do casamento, porém no dia seguinte não se lembrava do que tinha dito ou feito.

Recorde-se que o Johnny Depp e Amber Heard divorciaram-se em 2017, após 15 meses de um casamento turbulento.  

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo