Angelina Jolie admite mágoa após separação de Brad Pitt: "Tem sido bem difícil"

Atriz revela que o seu principal objetivo é "curar a família".
Angelina Jolie
Angelina Jolie
Angelina Jolie
Angelina Jolie
Angelina Jolie com os filhos
Angelina Jolie e Brad Pitt
Angelina Jolie e os filhos do ex-casal
Angelina Jolie
Brad Pitt e Angelina Jolie
Angelina Jolie e Brad Pitt
Angelina Jolie
Angelina Jolie
Angelina Jolie
Angelina Jolie
Angelina Jolie com os filhos
Angelina Jolie e Brad Pitt
Angelina Jolie e os filhos do ex-casal
Angelina Jolie
Brad Pitt e Angelina Jolie
Angelina Jolie e Brad Pitt
02 fev 2021 • 15:56
Quatro anos após o divórcio de Brad Pitt, Angelina Jolie falou pela primeira vez sobre a sua vida após a separação e fez uma rara menção ao ator.

Apesar de ser bastante reservada quando à sua vida pessoal, a atriz abordou o assunto em entrevista à edição de março da revista 'Vogue'. Após a rotura do casal, a artista ainda tem dúvidas sobre a sua felicidade: "Não sei. Os últimos anos têm sido muito difíceis. Tenho estado focada em curar a minha família. Está a voltar aos poucos, como se o frio estivesse a abandonar-me e o calor estivesse a regressar ao meu corpo". No entanto, admite: "Ainda não estou lá. Espero conseguir". 

Aos 45 anos, a estrela de Hollywood revela que tem esperança no futuro: "Estou a fazer planos para isso. Gosto de ser mais velha. Sinto-me mais confortável nos meus quarenta do que quando era nova. Talvez porque… não sei. Talvez porque a minha mãe não viveu muito, então vejo a idade mais como uma vitória do que como uma tristeza"

Durante a entrevista, Angelina fez uma rara menção ao ex-marido quando questionada sobre como é viver na antiga casa do cineasta Cecil B. DeMille. "Queria que fosse perto da casa dos pais dele (Brad Pitt), que fica a cinco minutos daqui", explicou. 

Quanto à educação dos seis filhos, Maddox, de 19 anos, Pax, 17, Zahara, 16, Shiloh, 14, e dos gémeos Knox e Vivienne, de 12, a estrela do cinema menosprezou o seu desempenho como mãe "tradicional": "Nunca gostei de estar parada. Apesar de sempre me ter imaginado com muitos filhos, via-me, por exemplo, a viajar com eles por algum lugar, como uma selva. Nunca imaginei a maternindade no sentido real e tradicional. Sinto que estou em falta para com as qualidades necessárias para se ser uma boa dona de casa. Estou a dar conta do recado porque as crianças são bem resilientes e ajudam-me, mas não sou boa nesse papel"

Recorde-se que o casal ainda tem a custódia dos filhos pendente na justiça, bem como algumas questões financeiras.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo