Ângelo Rodrigues com ordenado fixo desde o internamento

O ator consegue um contrato equivalente à exclusividade. Quando foi internado, começou a receber um ordenado fixo. O valor vai manter-se quer esteja em projetos ou apenas em recuperação.
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Foto: Instagram
22 nov 2019 • 14:46
Rute Lourenço
Quando foi internado, há cerca de três meses, com complicações decorrentes de uma injeção de testosterona na nádega, Ângelo Rodrigues não era um ator exclusivo da SIC e só recebia um ordenado se estivesse a fazer determinado projeto na estação [como era o caso na altura, com a série ‘Golpe de Sorte’].

No entanto, segundo apurou a ‘Sexta’, essa situação alterou-se devido ao drama vivido pela estrela. "Na altura, a SIC decidiu celebrar uma espécie de acordo de cavalheiros com o Ângelo e passou a pagar-lhe um ordenado fixo mensalmente. Não é o mesmo que um contrato de exclusividade, mas as condições são semelhantes e foi muito vantajoso para ele", começa por contar uma fonte, acrescentando que, até se restabelecer, o ator, de 32 anos, vai receber este ordenado "quer esteja ou não com projetos na SIC".

Mas a verdade é que, mesmo com a recuperação ainda numa fase muito inicial, o ator prepara-se para o seu primeiro desafio na SIC.

Desde que deixou o Hospital Garcia de Orta, onde passou dois meses, Ângelo passou a andar com uma câmara atrás, de forma a registar todos os momentos do processo de recuperação, numa espécie de reality show, ao qual a estação de Carnaxide prefere chamar documentário. "Será neste formato que o Ângelo irá falar pela primeira vez sobre o que aconteceu, abrir o jogo. É claro que é doloroso para ele estar a fazer isto, mas também é importante. Ele sente que tem de o fazer e que, no fundo, deve uma justificação àqueles que o seguem e o têm acompanhado", diz uma fonte.

Sozinho e desanimado
Este desafio tem sido uma espécie de balão de oxigénio para o ator, de 32 anos, que, depois da felicidade por deixar o hospital, começou a sentir-se mais desanimado nos últimos tempos, devido à dureza dos tratamentos e ao facto de estes se poderem revelar demasiado prolongados.

"Ele estava entusiasmado quando começou os tratamentos, mas as coisas revelaram-se mais complicadas do que inicialmente esperava. Vai ter uma longa batalha pela frente e isso claro que não é fácil de encarar. Nesta fase, o Ângelo queria já estar bom, mas vai demorar e claro que isso provoca um misto de sentimentos", explica a fonte.

A somar ao dia a dia complicado está também o facto de o ator se sentir cada vez mais isolado. Nesta fase, a mãe, Teresa Araújo, tem sido o grande pilar, mas a namorada, a personal trainer Carolina Fernandes, que em tempos não abandonou a sua cabeceira no hospital, também se distanciou de Ângelo. "Este é um processo muito solitário e um calvário que o Ângelo terá de enfrentar sozinho. É claro que tem a mãe e os amigos a seu lado, mas toda a terapia e reabilitação são, em si, muito solitárias. Faz parte e vai tornar o Ângelo mais forte, mas até lá custa muito", diz a fonte.

Nas redes sociais, Ângelo Rodrigues tem brincado com esta nova fase da vida, tentando ‘aligeirar’ o tema, mas também tem feito publicações mais a sério em que assume que tem sentido algumas dificuldades de adaptação. "A tentar encaixar-me", escreveu numa dessas mensagens, recebendo uma onda de apoio por parte dos seguidores.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo