Ângelo Rodrigues de muletas após nova cirurgia delicada à perna

Recuperação é lenta e afeta projetos profissionais
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
Ângelo Rodrigues
22 mai 2021 • 17:56
O processo de recuperação de Ângelo Rodrigues, de 33 anos, está longe de terminar. Depois de ter estado entre a vida e a morte devido a uma injeção de testosterona, em 2019, o ator continua a dura batalha de recuperar a sua mobilidade. Em abril, Ângelo foi submetido a mais uma cirurgia, que resultou numa nova infeção na perna esquerda, o que o obrigou a recorrer novamente a uma muleta para conseguir andar. 

Apesar das dificuldades de locomoção, o ator esteve presente nas cerimónias fúnebres de Maria João Abreu. Tal como a ‘Vidas’ presenciou, o ator da SIC surgiu debilitado, a andar com o auxílio de uma muleta e eram notórias as dificuldades em manter um passo constante.

A cirurgia, desta vez estética, teve como objetivo a reconstrução dos tecidos da perna e não terá corrido como pretendido, uma vez que o rosto da SIC terá sofrido "uma infeção pós-operatória grave" que o impediu de regressar aos seus compromissos profissionais. O intérprete, de 33 anos, integrava o elenco da peça ‘A Ratoeira’, tendo sido substituído por Daniel Cerca Santos.

O processo de recuperação de Ângelo está a revelar-se mais lento do que o esperado. Foi no final do verão de 2019 que o ator foi hospitalizado com uma grave infeção e desde então enfrenta sérias dificuldades que afetaram o seu dia a dia, nomeadamente a sua vida profissional.

Pesadelo sem fim à vista
Ao longo dos últimos meses, Ângelo teve alguns projetos televisivos pontuais, nomeadamente a segunda temporada de ‘Golpe de Sorte’, em que esteve em esforço constante devido à fragilidade da sua perna. Também participou nos primeiros episódios da novela ‘A Serra’.

Desde que sofreu a infeção após administrar testosterona na zona das nádegas, Ângelo mantém uma postura cada vez mais discreta. "Não tenho intenções de desculpar os meus próprios erros. Tenho perfeita noção do que eu fiz e da magnitude do meu erro", disse no documentário emitido pela SIC.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo