Armando Gama impedido de se aproximar da ex-mulher e do filho

Mais ataques podem resultar em colocação de pulseira eletrónica.
Armando Gama e Bárbara Barbosa
Armando Gama
Armando Gama e Bárbara Barbosa
Armando Gama
11 jan 2020 • 01:30
Miguel Curado
O cantor Armando Gama, preso na terça-feira por uma unidade anti-violência da GNR de Lisboa por agressões sobre a agora ex-companheira, Bárbara Barbosa, poderá ver a medida de coação agravada se persistir com ataques à vítima.

O magistrado que interrogou o músico deixou bem vincado que o afastamento da mulher e saída da habitação que lhe foram aplicados são para serem cumpridos.

À mínima infração, o juiz irá debruçar-se sobre o processo. E, caso considere que o comportamento de Armando Gama possa colocar em causa a integridade da ex-mulher, e do filho de ambos, de 6 anos, será ponderada a colocação de uma pulseira eletrónica.

Caso esse cenário aconteça, a ideia será a de passar a vigiar todos os passos do cantor, e também Bárbara Barbosa ficará com um dispositivo (chamado botão de pânico), que alertará as forças de segurança para eventuais situações de perigo.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo