Camila Pitanga revela que foi diagnosticada com malária: “Picos de febre alta, calafrios e total incerteza”

Atriz brasileira e a filha foram diagnosticadas com malária.
Camila Pitanga
Camila Pitanga
Camila Pitanga
Camila Pitanga e a filha, Antónia
Camila Pitanga e a filha, Antónia
Camila Pitanga e a filha, Antónia
Camila Pitanga
Camila Pitanga fez queixa de Mayer
Camila Pitanga
Camila Pitanga
Camila Pitanga
Camila Pitanga e a filha, Antónia
Camila Pitanga e a filha, Antónia
Camila Pitanga e a filha, Antónia
Camila Pitanga
Camila Pitanga fez queixa de Mayer
12 ago 2020 • 13:16

A atriz brasileira Camila Pitanga e a filha Antónia, de 12 anos foram diagnosticadas com malária. Foi através das redes sociais, esta terça-feira, que a atriz partilhou a novidade, onde falou sobre os principais sintomas e a desconfiança de estar infetada com a covid-19.

"Foram 10 dias de muito sufoco. Entre picos de febre alta, calafrios e total incerteza. Havia a sombra da possibilidade de estar com Covid-19. Somente no domingo recebi o resultado negativo do meu PCR", começou por escrever.

"Mas no lugar de me aliviar, permanecia a agonia pois eu não fazia ideia do que eu poderia ter. Estava à deriva", acrescentou.

As suspeitas de estar infetada com malária surgiram após uma conversa com uma amiga: "Pois bem, uma amiga minha suspeitou que esses picos de febre associados ao facto de estar em isolamento social numa zona de Mata Atlântida no litoral de São Paulo, podia ser malária. Fui indicada a conversar com dois infeciologistas. Os dois extremamente generosos em falar comigo num domingo já de noite. Dr. Luiz Fernando Aranha e o Dr. André Machado. Agradeço ao último pelas orientações que me levaram ao Hospital das Clínicas da USP", continuou.

"Uma vez que a suspeita era malária, doença muito rara, não há melhor lugar para você ser tratado do que a rede SUS, local de referência e excelência para doenças endémicas", disse.

A atriz brasileira que participou em várias produções da Globo fez ainda questão de agradecer aos profissionais que a acompanharam a si e à filha: "Bom, os resultados saíram e deram positivo para a malária. Eu e a minha filha. Uma doença que ainda existe, é curável, mas precisa de cuidados. O tratamento é gratuito. Faço aqui os meus votos de gratidão a todas e todos os profissionais de saúde, que além de estarem na trincheira nesta luta contra a covid-19, estão aí a atender inúmeras outras demandas com o seu profissionalismo no meio de condições e incertezas muito grandes (…)".

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo