Carta aberta contra “linchamento mediático” do ator Gérard Depardieu gera contestação

Sociedade francesa divide-se entre quem defende e quem ataca o ator, acusado de violação e de agressão sexual. Paulo Branco é um dos signatários da carta aberta.
Gérard Depardieu
Gérard Depardieu
Foto: Reuters
28 dez 2023 • 01:30
Uma carta aberta, assinada por 56 figuras proeminentes da cultura – incluindo o produtor português Paulo Branco – protesta contra aquilo que considera ser o “linchamento mediático” do ator Gérard Depardieu, acusado de violação e agressão sexual.

O documento – assinado por nomes como a antiga primeira-dama Carla Bruni e as atrizes Charlotte Rampling e Carole Bouquet (que viveu com o ator) – surge na sequência da estreia do documentário ‘Depardieu: A Queda de um Ogre’, em que se vê o ator, que fez esta quarta-feira 75 anos, a proferir frases obscenas sobre mulheres, a assediar uma das suas tradutoras e a fazer comentários sexuais sobre uma criança num centro equestre. A exibição da obra levou o próprio Presidente Emmanuel Macron a levantar-se em defesa do ator.

Mas há quem considere que Depardieu não deve estar acima da lei. Bérénice Hamidi, professora na Universidade Lumière Lyon, considera que a carta em defesa do ator é reveladora da postura francesa. “A escala de valores é simples: as mulheres que se dizem vítimas de Depardieu não contam nada quando comparadas com o estatuto do artista”, afirmou.
Mais sobre
Newsletter
topo