Catarina Gouveia cresceu sem conhecer o pai: "Nunca houve uma vontade dele em ter uma relação"

Atriz conta que só conheceu o pai biológico quando já estava na faculdade.
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
03 out 2020 • 14:46
Catarina Gouveia abriu o livro da sua vida, em entrevista ao 'Alta Definição' e desvendou que só conheceu o pai biológico quando já estava na universidade.

"A minha mãe foi mãe solteira, nos meus primeiros anos de vida não houve uma referência paterna. A minha mãe foi pai e mãe, mas sempre sem vitimização. É uma pessoa admirável e inspiradora", começa por contar, acrescentando que quando a progenitora se voltou a casar, foi o padrasto que assumiu o papel de pai.

"Sei quem é o meu pai biológico, mas nunca existiu uma vontade dele de ter uma relação, de assumir a responsabilidade paternal, nunca foi essa a escolha dele (...) Questionava-me muitas vezes porque é que não tinha havido uma procura".

A primeira abordagem aconteceu quando Catarina já estava na faculdade, a estudar Psicologia. "Nessa fase, há um contacto através de uma irmã dele, que diz que ele me quer conhecer. Entretanto, eu vou conhecê-lo e foi muito estranho... Ele perguntou-me o que eu achava do primeiro-ministro ou do presidente da República... Houve uma conversa muito vaga e superficial, a promessa de um contacto. Eu fiquei à espera e nunca mais aconteceu... e foi duro outra vez".

Triste e magoada, Catarina revela que o pai só voltou a entrar em contacto quando se tornou uma cara conhecida da ficção nacional. "Perdeu-se o contacto até eu começar a fazer novelas, e aí ele começou a querer ser meu pai, pai da pessoa que faz as novelas e não da Catarina que esteve 20 e tal anos sem essa figura".

Apesar da dor, a atriz sente-se abençoada pela família que teve e tece os maiores elogios à mãe e ao padrasto, que a criou como filha.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo