Cirurgião da estrelas está de luto: "Aquela filha era tudo para ele"

Madalena, de 35 anos, lutava desde a adolescência contra uma doença degenerativa grave.
Francisco Ibérico Nogueira
Madalena Ibérico Nogueira
Madalena Ibérico Nogueira
Francisco Ibérico Nogueira
Madalena Ibérico Nogueira
Madalena Ibérico Nogueira
16 jun 2020 • 01:30
Rute Lourenço
O conhecido cirurgião das estrelas Francisco Ibérico Nogueira vive dias de grande sofrimento com a morte da filha mais velha, aos 35 anos. Madalena, que lutava desde os 18 anos contra uma doença degenerativa grave, estava na casa de família, na Quinta do Lago, Algarve, quando perdeu a vida, durante a madrugada de sábado. “A Madalena tinha-se sentido mal no dia anterior e o seu estado de saúde era já muito débil. Estava com a mãe, que a encontrou sem vida. Apesar de estar muito frágil, a verdade é que ninguém estava à espera”, conta uma fonte ao CM.

As cerimónias fúnebres de Madalena Ibérico Nogueira realizaram-se no último domingo com a família a mostrar-se muito consternada. Os dois irmãos mais novos, Francisco, de 30 anos, e de Salvador, de 27, eram a imagem do sofrimento.

Muito acarinhada pela família e amigos, a página de Facebook de Madalena encheu-se de homenagens ao longo dos últimos dias. “Querida Piu Piu um grande grande beijinho, vamos ter muitas saudades tuas, minha Querida. Que o céu te guarde e tu guardes quem mais gostas”, escreveu uma das amigas, Mathilde Stilwell.

Os depoimentos emotivos a recordar a personalidade de Madalena invadiram a conta de Facebook da jovem, lembrada pelos amigos já com muita saudade. Na conta, Madalena partilhava vários momentos, que demonstravam a grande paixão pelos amigos e família, em especial pelos irmãos.

Anos de batalhas
Desde que foi diagnosticada com a doença degenerativa que Madalena sempre encarou o problema de frente e com coragem. Os pais fizeram de tudo para tentar vencer a condição, e rodearam-se dos melhores médicos, procurando ajuda especializada também fora de Portugal. Com o enfraquecimento cada vez maior dos músculos da filha, Francisco Ibérico Nogueira mostrou-se incansável no apoio e operou Madalena por diversas vezes às pálpebras, que não se mantinham. “Aquela filha era tudo para ele. Tinham uma ligação para lá de especial”, refere a mesma fonte.

União sólida e feliz
Francisco Ibérico Nogueira e Mariana casaram-se em 1983 e dois anos depois tiveram a primeira filha: Madalena. São ainda pais de Francisco, de 30 anos, e Salvador, de 27, numa família que sempre se revelou unida. O cirurgião sempre demonstrou grande paixão pela mulher e filhos, a quem se dedicava a 100 por cento.

"Eu vou sofrer até ao fim da minha vida"
Foi em 2014 que a vida de Judite Sousa mudou para sempre, quando perdeu o único filho, André Sousa Bessa, de apenas 29 anos, após uma queda numa piscina. Em entrevista, a jornalista recordou que estava numa festa com amigos quando se sentiu “profundamente mal”. Horas mais tarde, foi avisada por amigos de André que este tinha sofrido um acidente e estava hospitalizado em estado grave. “Eu senti que o meu filho já não estaria vivo. Algo me disse que o meu filho já não estaria vivo”, recorda Judite, acrescentando: “Eu todos os dias dava notícias sobre pessoas que estavam em morte cerebral. Eu sabia o que era estar em morte cerebral”.

Helena Sacadura Cabral recorda o filho com saudade
Após uma longa batalha contra um cancro no pulmão, Miguel Portas morreu, aos 53 anos, em 2012, deixando um vazio na vida da família, nomeadamente da mãe, Helena Sacadura Cabral, que nas redes sociais foi sempre lembrando o filho. “Faz hoje cinco anos que o meu filho Miguel faleceu. Nem um único dia deixei de lhe dar as boas noites. Nem um único dia esta dor deixou de fazer parte da minha vida. Julgo poder dizer que só uma força imensa faz com que continue a relembrar, com total serenidade, o seu sorriso!”, recordou em 2017.

No ano passado, em conversa com Cristina Ferreira, a escritora revelou que aprendeu a apaziguar a dor. “Não quero que o meu olhar sobre a morte do Miguel seja um olhar doloroso. Está feito o luto! Foram sete anos”, disse, recordando o pedido que o filho lhe fez. “Pediu-me que fizesse toda a minha vida como se ele estivesse cá”. Como exemplo lembrou: “Ele morreu a 24 e no dia 1 de maio estava eu na Feira do Livro a assinar livros”.

Eunice Muñoz vive sofrimento: "Devia ser eu a ir-me embora"
Aos 91 anos, Eunice Muñoz enfrentou momentos de grande dor com a morte de um dos cinco filhos, Maria, após uma longa batalha contra o cancro. Uma perda dura para a veterana, que assume a dificuldade em enfrentar a dor. “O desgosto de perder um filho... É muito estranho porque não tenho idade para perder um filho, devo ser eu a ir-me embora. É muito esquisito, ela tinha 50 e tal anos e ainda tinha uma vida. E é tudo muito doloroso”, explicou.

Também a neta de Eunice, Marta, dedicou palavras de saudade à mãe. “Não há um dia que não me lembre deste abraço... E tenho tanto para te contar”, escreveu.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo