Cláudio Ramos assume inseguranças com a pandemia

Apresentador deixou uma mensagem de alerta a propósito da pandemia. “Não brinquemos com coisas sérias”
Cláudio Ramos
Cláudio Ramos
Cláudio Ramos
Cláudio Ramos
31 out 2020 • 12:41
Em tempos de incerteza devido à pandemia, Cláudio Ramos recordou como a vida mudou de um dia para o outro.

"Andávamos pela rua sem medo. As máscaras eram uma coisa de médicos e enfermeiros. O gel desinfetante ocasional. Os abraços uma constante. Saíamos sem pensar e voltávamos a sair vezes sem conta. Recuemos ao tempo onde vivíamos cheios de certezas absolutas. Onde viajar dependia apenas de dinheiro e agenda. Onde se ia ao teatro sem medo, ao cinema sem medo, a um concerto sem medo. Onde marcávamos um jantar sem medo, conhecíamos um brunch sem medo, descobríamos lugares sem medo. Recuemos ao tempo onde se respirava sem medo!", partilhou nas redes sociais.

O apresentador da TVI deixou também uma mensagem de alerta para a gravidade da situação. "Não brinquemos com coisas sérias que estão aí os números a avisar toda a gente que quem manda no universo é o universo. Não é o homem. Por muito importantes que nos achemos!".

Cláudio assumiu que tem vivido com medo, mas tenta que esse sentimento não o aprisione. "O medo condiciona? Claro que sim. É preciso dar-lhe tempo e espaço. Não permitir que nos silencie".

Como medida de segurança, o apresentador esteve de máscara na último ‘Somos Portugal’, TVI. Explicou que "não é fácil fazer uma emissão de tantas horas em direto" assim, mas relembrou que os profissionais de saúde e professores, por exemplo, estão em condições piores. "Não há razão para me queixar", concluiu.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo