Colegas emocionados lembram Artur Albarran

Rostos da televisão recordam percurso “marcante” do jornalista e apresentado.
Artur Albarran
Artur Albarran
Foto: Direitos Reservados
17 fev 2022 • 01:30
Vânia Nunes

Ao longo do dia desta quarta-feira multiplicaram-se as homenagens e reações à morte de Artur Albarran, aos 69 anos, vítima de cancro.

Graça Fonseca, ministra da Cultura, recordou-o como uma "personalidade emblemática dos ecrãs de televisão e do jornalismo português", destacando o seu trabalho como enviado especial da RTP na Guerra do Golfo e na Somália. No lado do entretenimento, assinalou o seu "estilo sempre único e imediatamente reconhecível, que o ajudou a desenvolver uma relação de significativa proximidade com o público português".

Colegas do pequeno ecrã também fizeram questão de destacar as qualidades do homem que será sempre lembrado pela frase "o drama, a tragédia, o horror". "Marcante e único", descreveu a jornalista da RTP Fátima Campos Ferreira. Dina Aguiar usou uma foto de Albarran num momento feliz e escreveu: "De ti guardarei sempre este sorriso. Acho que está na memória de todos os que te conheceram. Partires assim tão cedo faz a vida parecer injusta".

Cristina Ferreira também se pronunciou: "Há pessoas que fazem parte da nossa vida, só de as vermos na televisão".

João Soares (PS) disse que recebeu a notícia com "profunda tristeza". "Era seu amigo, e mesmo nos últimos tempos vizinho. Albarran foi um grande jornalista de televisão, e não só. Também um empresário inteligente e audaz", revelou.

Cerimónias fúnebres
As cerimónias fúnebres do antigo jornalista e apresentador iniciam-se esta quinta-feira à tarde. O velório irá decorrer entre as 19h e as 22h na Basílica da Estrela, em Lisboa. Para sexta-feira está marcada uma missa, às 11h30. O funeral será reservado à família. Albarran deixa seis filhos, André, de 39 anos, Carolina, de 33, Francisca, de 27, Linny, de 23, Linda, de 20, e Maria, de 18 anos.

REAÇÕES
Bárbara Guimarães, apresentadora
"Vais-te embora sem antecipar a notícia"
"Artur… isto não se faz. Vais-te embora sem avisar, sem antecipar a notícia como sempre me ensinaste a fazer. Saudade é amar um passado que contigo ainda não passou, é recusar o presente e não querer aceitar o futuro sem ti".

Vera Roquette, ex-apresentadora
"As suas gargalhadas eram fantásticas"
"Morreu o meu ex- colega e excelente jornalista da RTP, Artur Albarran. As suas gargalhadas eram fantásticas. Guardo as melhores memórias desses momentos. Sofreu vários anos de doença prolongada, batalhando sempre, corajosamente".

Lurdes Baeta, jornalista
"Aprendi com o Artur a essência jornalística"
"Aprendi com o Artur a essência jornalística de que sou hoje feita, de curiosidade, deslumbramento, diversão, amor e entusiasmo pela TV. Disse-lhe isto no 15º aniversário da TVI, deu uma gargalhada e respondeu: ‘que exagero, nada disso’. A gargalhada cá fica".

Manuel Luís Goucha, apresentador
"Nunca esquecerei o teu sorriso rasgado"
"Nunca me esquecerei daquelas férias no México e logo a seguir em Sevilha, nem do teu sorriso rasgado até aos zigomas, menos ainda do teu jeito único de informar e viver o acontecimento. Vida cheia de tanto! Quisera eu acreditar para te dizer agora: até um dia".

Mais sobre
Newsletter
topo