Cristina Ferreira arrasa SIC em entrevista a Goucha: "Não sou escrava de nada"

Apresentadora não poupa crítias à antiga estação e mostra-se tranquila com desfecho do processo judicial. "Se tiver de pagar, pago".
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
26 mar 2021 • 18:59
Manuel Luís Goucha recebeu Cristina Ferreira no seu programa 'Goucha', da TVI, esta sexta-feira, 26 de março. Os dois amigos debruçaram-se sobre o caminho que a apresentadora tem feito até chegar a Diretora de Entretenimento e Ficção da estação de Queluz de Baixo. 

Cristina Ferreira confessa que se tornou uma mulher mais resiliente e que teve de criar uma cápsula para se proteger comentários que recebe. "Para sobreviveres tenho de ser dura, fria... Infelizmente, tive de tirar afeto do meu trabalho", confessou.

Sobre os despedimentos que têm acontecido no canal, a amiga de Ruben Rua admite que lhe custa prescindir dos serviços dos colegas. "As decisões que tomo têm implicação na vida das pessoas. Essas decisões têm de ser tomadas friamente. Se não fores válido para o canal, tenho de dizer isso. Não menti a ninguém desde que cheguei [à TVI]", garante.

Em relação à saída de Fátima Lopes, a apresentadora lamenta não ter conseguido manter a colega no canal. "A Fátima não chegou a nenhum entendimento. Não quis falar sobre valores. Eu queria muito ver a Fátima a brilhar", garante. Já em relação à saída de Isabel Silva, Cristina Ferreira afirma que tem uma boa relação com a apresentadora. "A Isabel [Silva] foi a minha primeira escolha. A Isabel queria voar. Não queria o que havia"

O tema da saída da SIC para Queluz de Baixo foi também, abordado por Cristina Ferreira, que confessa alguma desilusão pelo processo movido pela estação, em que lhe são exigidos mais de 20 milhões de euros. "Se eu quisesse continuava lá. Estava tudo bem. Era rainha e senhora das manhãs da SIC, no meu programa, tudo certinho. Mas não era isso que queria. Eu não sou escrava de nada. Sou aquilo que quero ser", começa por afirmar. 

"Há um contrato. Há alíneas desse contrato... se não houvesse alíneas que nos permitissem sair vivíamos numa escravatura. Eu tinha chegado ao fim do meu caminho. Se fui feliz, fui. Mas surgiu uma oportunidade. Se tiver de pagar, pago", garante recordando a sua quebra de contrato. 

Cristina Ferreira afirma, ainda, que não ficou contente com a postura adotada pela direção da SIC quando comunicou a sua decisão de sair do canal. "Fico triste. As pessoas com quem trabalhei do outro lado sabem o que dei e sabem o que contribuí.  Gostava que tivessem dito: 'Podemos fazer alguma coisa', 'obrigada, temos pena que vás embora, vamos olhar para o que temos de cláusulas, ou boa sorte para ganhar' ", lamenta. 

A apresentadora falou ainda sobre o seu novo projeto, 'Cristina ComVida', que estreia segunda-feira, 29 de março, a apresentadora recorda que é um desafio que estava na gaveta há muitos anos. "Foi um projeto que levei para o outro lado [SIC]. Ainda lá está. É a vida. É o que querem fazer. Eu gosto de ganhar com o que é meu", refere sobre a escolha da SIC manter o programa 'Casa Feliz'.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo