Dalila Carmo apanhada na revolução da Nicarágua

Atriz viu-se envolvida nas manifestações populares contra o regime de Daniel Ortega, que já fizeram trinta mortos.
Dalila Carmo
Dalila Carmo
Foto: Ricardo Ruela
26 abr 2018 • 06:00
Miguel Azevedo
De férias na Nicarágua, na América Central, para gozar aqueles que deveriam ser dias de descanso, Dalila Carmo tem vivido momentos de tensão, preocupação e medo. A atriz foi ‘apanhada’ pela revolta e pelas violentas manifestações populares contra o regime de Daniel Ortega, que já fizeram mais de 30 mortos e de 60 feridos.

A atriz tem divulgados várias imagens e desabafos nas redes sociais, tendo mesmo partilhado um episódio da angústia pela qual passa: "O café do lado deu-me um pratinho de comida para não desfalecer até amanhã. A partir desta hora ficamos fechados à chave".

Já ontem a atriz revelava o sítio onde estava hospedada à espera de que se resolvesse o futuro da Nicarágua.

Atriz agradece a salvadora 
Há três dias, já Dalila Carmo tinha agradecido nas redes sociais a quem a tinha ajudado. "Aqui com a Sori, a minha ‘salvadora’ em Granada, que encheu de boa música o pátio onde nos abrigámos".
Mais sobre
Newsletter
topo