Dânia Neto confessa ter sido vítima de assédio na TVI

Atriz garante que lhe fizeram uma “abordagem óbvia” no início da sua carreira.
Dânia Neto
Dânia Neto
Foto: Direitos Reservados
15 jan 2018 • 01:30
João Monteiro de Matos e Rute Lourenço
Dânia Neto deu voz às mulheres que em Portugal foram vítimas de assédio no trabalho e garantiu que, também ela, passou por momentos delicados no início da carreira, sofrendo pressão por parte de alguém que tinha poder na TVI. "Já fui vítima de assédio", começa por contar em entrevista a Rui Unas, acrescentando: "Foi há muitos anos, no início da carreira. Foi a única vez em que me senti desconfortável. Foi uma abordagem óbvia e isso é que é o mais assustador", diz, recusando-se a revelar o nome da pessoa que a assediou. "Não sinto necessidade de denunciar, até porque essa pessoa já não trabalha no meio".

Na altura, a atriz, de 34 anos, estava na série ‘Morangos com Açúcar’ e acredita que se tivesse sido recetiva à abordagem tinha continuado na estação. "Eu deixei de trabalhar lá, mas as pessoas que entraram podem ter passado por este processo".

Dânia Neto manteve o telemóvel desligado até ao fecho desta edição. Aos responsáveis da TVI, o CM colocou a questão sobre este caso mas não obteve qualquer resposta.

Cristina denuncia em livro
Em Portugal, Cristina Ferreira foi uma das primeiras figuras públicas a falar sobre o tema do assédio sexual. No seu livro, ‘Sentir’, a apresentadora recordou o tempo em que foi abordada por um então responsável da TVI. "As flores indiciavam uma óbvia tentativa de conquista. As palavras, mansas, acusavam um objetivo claro: ele queria ‘comer-me’", afirmou, sem nunca revelar a identidade do homem que a assediou.

Caso ganha destaque mundial
Foi a coragem de Rose McGowan, a atriz norte-americana que acusou Harvey Weinstein de violação e assédio sexual, que permitiu que outras atrizes e colaboradoras do produtor cinematográfico avançassem também com denúncias.

De acordo com as centenas de relatos, os abusos decorreram durante as últimas três décadas e tinham como alvo mulheres jovens que desejavam uma carreira na indústria cinematográfica e, em particular, nos estúdios de Hollywood.

O caso ganhou proporções mundiais e não deixou ninguém indiferente. Após a polémica, as denúncias aumentaram.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo