Daniel Oliveira chora morte do "tio" vítima da Covid-19: "Dele, tive sempre amor"

Diretor de programas da SIC prestou uma comovente homanagem ao "tio Funa" nas redes sociais.
Daniel Oliveira com o 'tio Funa' e o 'irmão' Diogo
Andreia Rodrigues, Daniel Oliveira, relação, casamento, sic, apresentadora
Daniel Oliveira
Daniel Oliveira
Daniel Oliveira
Daniel Oliveira com o 'tio Funa' e o 'irmão' Diogo
Andreia Rodrigues, Daniel Oliveira, relação, casamento, sic, apresentadora
Daniel Oliveira
Daniel Oliveira
Daniel Oliveira
26 jan 2021 • 11:36
Daniel Oliveira, Diretor de Programas da SIC, está de luto pelo "tio Funa", que morreu vítima de Covid-19. Esta segunda-feira, o comunicador não hesitou em prestar-lhe uma comovente homenagem nas suas redes sociais. 

"A primeira vez que fui à SIC, foi ele que me levou. Dele, tive sempre amor, bom senso, leveza e alegria. Foi meu tio com um grau de afinidade tão alto que a Covid não conseguirá levar-nos isso. Fomentou que o filho dele e eu fossemos como irmãos, que somos", começou por escrever na legenda da fotografia em que surge ao lado do "tio" e do "irmão". 

No texto emotivo, Daniel explicou como o "familiar" foi importante ao longo da sua vida. " (...) Tinha uma cicatriz no braço, por ter pulado uma vedação, em miúdo, ainda na Guiné, episódio que contava como se fosse uma aventura de super herói. Ensinou-me a jogar Prince of Persia, no único computador que, à data, existia na família. Adorava futebol e o Estrela da Amadora, onde jogou. Vimos juntos na tv, em 1994, um jogo épico, Werder Bremen – Anderlecht (alemães transformaram um 0-3 em 5-3)", continuou. 

"Vibrávamos juntos nas bancadas quando o Diogo começou a evidenciar talento. Preferia ser ele a tirar as fotografias felizes da família. 'Então, mas assim não estás na foto!' 'Não estou, mas sou eu que vos vejo assim'. Adorava a Volta a Portugal em bicicleta e pedia-me para que um dia o levasse comigo", acrescentou. 

O apresentador do 'Alta Definição' contou ainda um episódio em que o "tio" o salvou: "Numa noite em que eu, com 10 anos, precisava de ajuda, foi à minha procura, encontrou-me e protegeu-me como se fosse seu filho"."Um acidente há quase 18 anos mudou-lhe a vida. E a nossa, que passámos a encará-la de outra forma. Mas não mudou o que nele admiraremos sempre, a dignidade e o estoicismo. Guardarei o seu olhar de quando lhe mostrei fotos do filho como profissional de futebol. Foi o pai perfeito de uma das pessoas que mais amo, o Diogo, que é a sua grande obra e que, hoje mesmo, honrou a sua memória, jogando 75 minutos a titular, já sabendo que o fazia em nome do pai", revelou. 

"Obrigado, tio Funa! Cuidem-se!", rematou. 

De imediato, Daniel Oliveira recebeu várias mensagens de apoio e carinho na caixa de comentários. 

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo