Diego Maradona operado de urgência ao cérebro

Os resultados identificaram um coágulo que exige uma intervenção imediata.
Maradona enfrenta também problemas cardíacos e de hipertensão
Maradona enfrenta também problemas cardíacos e de hipertensão
Foto: Reuters
04 nov 2020 • 01:30
Vânia Nunes
Diego Armando Maradona Franco vai ser operado de urgência ao cérebro, após ter-lhe sido diagnosticado um coágulo. O problema foi detetado esta terça-feira, quatro dias após ‘El Pibe’ ter celebrado o seu 60º aniversário, quando pediu para ser internado num hospital de Buenos Aires, na Argentina. Inicialmente, foi diagnosticado com anemia e uma depressão, mas exames mais profundo revelaram que a situação era ainda mais grave.

"Emocionalmente está mal. Foi fazer alguns exames e acabou por pedir para ser internado", informaram fontes médicas à agência EFE. Recentemente, os médicos do ex-internacional argentino já tinham deixado claro que este se encontrava frágil e que a pandemia agravou a situação. "Esta paragem, a quarentena e os problemas familiares têm sido terríveis para ele", disse, há uns meses, Leopoldo Luque, um dos seus médicos.

Maradona também se debate com problemas cardíacos e de hipertensão, assim como de insónias, e encontra-se a recuperar da operação ao joelho direito a que foi submetido no ano passado.

Ultrapassada parece estar a dependência de drogas pesadas. "Ele está limpo da cocaína", garantiram os médicos. Ainda assim, afirmam que, "em alguns momentos, comete excessos com bebidas alcoólicas e noutros momentos, não".

Deixa estádio
Na sexta-feira, Maradona esteve no estádio do Gimnasia de la Plata, clube do qual é treinador. Contudo, deixou o estádio ainda antes de se iniciar o jogo com o Patronato, tendo sido o adjunto Sebastián Mendez a orientar a equipa.

Ameaça deserdar as duas filhas após críticas em público
Diego Maradona sempre disse que as filhas Dalma e Giannina eram a razão do seu viver. No entanto, tudo mudou no ano passado, quando ameaçou deserdá-las. Tudo porque as filhas foram para as redes sociais ordenar à ex-companheira do pai, Rocío Oliva, que toma conta dele, a fazer um melhor trabalho.

‘Ex’ nega agressões e elogia
A última relação de Diego Maradona foi com Rocío Oliva, durou seis anos e também foi marcada por polémicas. No entanto, em junho, a antiga companheira defendeu-o. "Diego nunca foi violento comigo. Eu não divulguei aquele vídeo, enviei apenas para uma pessoa e depois tornou-se viral", afirmou, referindo-se a umas imagens de 2014, em que Maradona supostamente a agride num hotel em Madrid. "Diego tem um coração enorme, é uma boa pessoa, apoia e é um amigo muito bom. Nunca me vão ouvir falar mal dele", concluiu.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo