Diego Maradona perdoou as filhas antes de morrer

No ano passado, o antigo futebolista tinha ameaçado deserdar Dalma e Giannina.
Maradona com a ex-mulher, Claudia Villafañe, as filhas, Dalma e Giannina, e o neto, Benjamín
Maradona e a ex-namorada Rocío Oliva
Maradona com Dalma
Maradona com Dalma
Maradona com a ex-mulher, Claudia Villafañe, e as filhas, Dalma e Giannina
Maradona com Giannina
Maradona com a ex-mulher, Claudia Villafañe, as filhas, Dalma e Giannina, e o neto, Benjamín
Maradona e a ex-namorada Rocío Oliva
Maradona com Dalma
Maradona com Dalma
Maradona com a ex-mulher, Claudia Villafañe, e as filhas, Dalma e Giannina
Maradona com Giannina
25 nov 2020 • 17:50
A relação de Diego Maradona com as filhas Dalma e Giannina, fruto da relação com Claudia Villafañe, nem sempre foi fácil e até ser internado, no início do mês, estava de relações cortadas com as duas. No entanto, com o agravamento do estado de saúde de Maradona, após ter sido operado a um coágulo no cérebro, tudo mudou e El Pibe esqueceu as guerras do passado. 

Aliás, Dalma, de 33 anos, e Giannina, de 31, foram o principal apoio do pai na unidade hospitalar onde esteve até dia 11, na Argentina.

"Acabei de sair da clínica e só quero agradecer a todos pelas demonstrações constantes de amor ao meu pai, à minha irmã e a mim, obrigado a todos os que rezaram por ele", escreveu Dalma nas redes sociais.

El Pibe dizia que Dalma e Giannina eram a razão do seu viver até ao ano passado, quando ameaçou deserdá-las.

Tudo porque as filhas foram para as redes sociais dizer que a ex-companheira do pai, Rocío Oliva, que tomava conta dele na altura, não estava a fazer um bom trabalho. "Estás a matá-lo e ele nem se apercebe", escreveram, depois de encontrarem o ex-jogador da Argentina alcoolizado durante a sua festa de aniversário.

Maradona ficou furioso e disse que ia dar a sua fortuna toda para caridade. Rocío Oliva também reagiu: "Se vocês se preocupam tanto com ele venham vocês tratar do vosso pai, em vez de irem para as redes sociais."

Em julho deste ano, a polémica reacendeu-se quando as filhas mostraram vontade de avançar com uma ação judicial para obrigar Maradona a tratar a dependência do álcool."Eu estava morto, não é? E agora, o que vão dizer? O que vão inventar? Estão a fazer tudo por dinheiro. E com dinheiro não se compra o coração de ninguém...".

Giannina reagiu às palavras do pai. "Eu continuo a escolher preservá-lo. Quem me conhece sabe da relação que tenho com ele, das vezes em que cumpri um papel que não cabia a mim...".

Entretanto, no início do mês, quando o antigo futebolista foi hospitalizado com um quadro depressivo, Dalma defendeu a irmã mais velha, Giannina, que já se tinha mostrado preocupada com as pessoas que rodeavam o seu pai. "Quando a minha irmã disse que o meu pai não estava bem, levaram um 'jornalista' a casa dele para falar mal dela. E agora? Bom, não estamos loucas, pois não? Não imaginam o que escrevo e apago porque agora o mais importante é que ele fique bem. Pelo bem de todos os 'chupa-sangue', espero que não se passe nada...".

Entretanto, reaproximaram-se da lenda do futebol e harmonia familiar parecia ter voltado.

Maradona teve alta no passado dia 11 e encontrava-se a recuperar com o apoio das filhas. Esta quarta-feira, morreu aos 60 anos, após sofrer uma paragem cardiorrespiratória na sua casa, em Tigre, na Argentina.



Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo