Diogo Piçarra critica Olavo Bilac por tirar foto com André Ventura: “Falta de carácter”

Olavo Bilac demarcou-se do partido de André Ventura e esclareceu polémica.
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
André Ventura com Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
André Ventura com Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
Diogo Piçarra, Olavo Bilac
11 ago 2020 • 16:42

Diogo Piçarra recorreu às redes sociais para comentar a polémica fotografia de Olavo Bilac com o líder do partido Chega, André Ventura, após um espetáculo musical no comício do partido, em Leiria.

"Há coisas que o dinheiro simplesmente não compra, nem que estejas a passar dificuldades, e uma delas é a integridade", escreveu Diogo na sua conta de Twitter. "Não me interpretes mal Olavo, podes apoiar ou seguir quem tu quiseres, não peças é desculpa por isso. É ainda mais falta de carácter", acrescentou.

Confrontado com a chuva de críticas à atitude, sendo ainda acusado de ser apoiante do partido, Olavo Bilac emitiu um comunicado, no qual se demarca do partido: "Acho que devo uma explicação. Sim, é verdade que fui atuar profissionalmente a um jantar do privado do partido Chega, com o qual não tenho nenhum tipo de relação política ou afetiva", começou por escrever.

"Sim, sou eu na selfie tirada pelo André Ventura, num momento final da minha atuação. Confesso que na altura encarei isto só mesmo como mais uma atuação e mais uma selfie, especialmente numa altura em que eu, os músicos que me acompanham e os técnicos têm quase a totalidade do seu ganha pão cancelado desde março", acrescentou.

"Percebo que errei. Nunca pretendi apoiar o Chega, assim como nunca apoiei qualquer força política para as quais já toquei ao longo de toda a minha carreira. Mas devia ter tido o discernimento para perceber que não era só mais um concerto para mais um partido e das implicações que esta atuação profissional iria desencadear", continuou.

O cantor de 52 anos aproveitou ainda para pedir desculpa ao público "que, de algum modo se tenha sentido ofendido por esta situação" e aos "pares da indústria, músicos que já tantas vezes hipotecaram o dia devido aos seus princípios".

"Às vezes peco por nunca dizer que não ou recusar uma foto, relativizando as situações privadas em favor das outras pessoas que me estão mais próximas", terminou.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo