Dolores Aveiro e Georgina Rodriguez: A zanga muito mal contada

A matriarca do clã Aveiro ocultou os pormenores da guerra com a nora, que começou em Madrid.
Dolores Aveiro
Georgina Rodríguez
Dolores Aveiro
Georgina Rodríguez
28 out 2019 • 17:58
André Filipe Oliveira
Dolores Aveiro, de 64 anos, assume que não tem nenhum dissabor com a namorada do filho mais novo, Georgina Rodríguez, de 25. No entanto, houve pormenores do afastamento do lar de Cristiano Ronaldo que a matriarca do clã decidiu ocultar durante a conversa que teve com Cristina Ferreira, em direto na SIC.

"Desde o momento que o Ronaldo decide fazer a sua vida, eu tenho de aceitar, seja a mulher que for. Ele não deixa de ser o meu filho", explicou.

O mal-estar entre Dolores e Georgina começou ainda em Madrid, Espanha, quando a espanhola ficou grávida de Alana Martina, em março de 2017. A partir do momento em que a modelo conquistou a total confiança do internacional português, a madeirense começou a ser afastada da luxuosa mansão de La Finca, em Madrid, com idas mais regulares ao Funchal, na Madeira.

O regresso à terra natal deu-se em definitivo quando Ronaldo assinou pela Juventus, em agosto de 2018, e mudou-se com a companheira e os quatro filhos, Cristianinho, Eva, Mateo e Alana para Turim, Itália. "Dei-lhe espaço, ele tem de viver a vida dele. Tive sempre ao lado do Ronaldo porque ele me pedia", acrescentou Dolores.

Embora negue qualquer mal-estar, o desagrado entre a madeirense e a nora viu-se até nas redes sociais. Dolores foi ‘apanhada’ por páginas de apoio a Gio a colocar ‘gostos’ em comentários difamatórios sobre a namorado de Ronaldo e fotos de Irina Shayk.

"Agora, estou feliz na Madeira", diz Dolores Aveiro

Segundo a mãe de Ronaldo, o regresso à Madeira deu-se na altura certa. "Estou feliz na Madeira. Quando me apetece vou passear aqui e acolá. Quando estava em Madrid não fazia nada disso. Vivia para o Cristiano", admitiu. Sobre a rotina na terra natal ao lado do companheiro, José Andrade, Dolores é parca em palavras: "Tenho o meu espaço e ele o dele. Eu sou fiel. Até ao dia de hoje tenho sido fiel. Se ele me falhar as coisas mudam." A ida para o Funchal mudou por completo a vida da matriarca do clã Aveiro. Passou a estar mais tempo com as amigas, a quem concretiza desejos. "Levo-as a passear. É uma alegria para elas. Tudo o que eu puder fazer, eu faço", completou.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo