Dolores Aveiro recorda passado dramático na Madeira

A mãe de Cristiano Ronaldo fez revelações inéditas sobre a sua família. Matriarca do clã falou sobre a morte da mãe, infância no orfanato e a pobreza que viveu
Dolores Aveiro, Bárbara Guimarães
Dolores Aveiro, Bárbara Guimarães
Dolores Aveiro
Dolores Aveiro, Bárbara Guimarães
Dolores Aveiro, Bárbara Guimarães
Dolores Aveiro
23 mar 2020 • 13:38
Dolores Aveiro, de 65 anos, foi a convidada de Bárbara Guimarães em '24 Horas de Vida'. Um programa emocionante em que a matriarca do clã Aveiro fez revelações surpreendentes sobre a sua infância na Madeira. 

Apesar de atualmente manter um nível de vida elevado, nem sempre foi assim. Ao longo da emissão, Dolores percorreu aqueles que são os locais mais marcantes na ilha e recordou os momentos mais marcantes da sua vida. 

Foi no Caniçal, localidade onde nasceu e viveu até aos seis anos, que falou dos anos mais dramáticos. "Éramos muito pobres. A minha mãe passou muita fome para poder sustentar os filhos. O meu pai nunca foi um homem responsável", partilhou. "Tínhamos uma casa de palha, mas éramos felizes". 

Dolores recordou que a mãe morreu quando tinha apenas seis anos, vitíma de ataque cardiaco. Um episódio que não esquece pela dor. "Lembro-me quando a ambulância veio buscar a minha mãe... Demorávamos horas para chegar ao Funchal. Ela morreu de ataque cardíaco. Lembro-me de ir para casa da minha avó e uma senhora dizer-lhe 'a tua Matilde já foi'. Percebi que a minha mãe tinha morrido".

Após a morte da mãe, Dolores foi levada para um orfanato com mais três irmãos. Uma decisão que considera ter sido a mais acertada
"O meu pai ficou com um menino, o mais velho, e nós os quatro fomos internados. Se tivéssemos ficado aos cuidados deles iríamos passar fome e talvez algum de nós tivesse morrido".
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo