Duques de Cambridge desabafam sobre quarentena. "Sinto-me muito mal", revela Kate Middleton

O príncipe William e a mulher admitiram que tem sido difícil educar os filhos em casa, e revelam medo pelo príncipe Carlos, que foi infetado com coronavírus.
William, Kate Middleton
Príncipe William e Kate Middleton com os filhos George e Carlota
Príncipe William e Kate Middleton com os filhos: George, Carlota e Louis
William, Kate Middleton
Príncipe William e Kate Middleton com os filhos George e Carlota
Príncipe William e Kate Middleton com os filhos: George, Carlota e Louis
17 abr 2020 • 14:32

Os príncipes William e Kate revelaram o quanto tem sido "desafiador" permanecer com os três filhos em casa, George, de seis anos, Carlota, de quatro, e Louis, de dois. 

Durante uma entrevista transmitida na BBC, os duques de Cambridge descreveram como tem sido esta fase. "Eu sinto-me muito mal", começou por dizer Kate, que, no entanto, tem tentado contrariar o que sente.


"Honestamente, chegamos ao final do dia e escrevemos a lista de todas as coisas que fizemos naquele dia", desabafou Kate sobre a rotina em casa, onde está a cumprir o isolamento social.

"Temos apenas ter esse pedaço de estrutura, e é ótimo, há tantas ótimas dicas online e atividades divertidas que você pode fazer com as crianças", disse ainda a mulher do príncipe William, que garante que tem entretido as crianças a todo o custo.

O casal contou que também tem sido importante evitar assustar os filhos, mas acrescentou que a educação em casa também tem o seu lado "divertido". As crianças têm montado tendas e cozinhado.

Kate também admitiu que a família passou por "altos e baixos" durante o confinamento "como muitas famílias", desde que foi imposto em 23 de março, mas garante que têm mantido o contato com outros membros da família através de vídeochamadas.

Durante a conversa, o filho mais velho da princesa Diana não resistiu a desabafar sobre a situação que abalou a família, quando o seu pai, o príncipe Carlos, foi diagnosticado com coronavírus.

"Tenho que admitir que, no começo, fiquei bastante preocupado, porque na idade dele é bastante arriscado", afirmou William.

"O meu pai já teve muitas infeções no peito, constipações, entre outras coisas ao longo dos anos. E então pensei para mim mesmo: se alguém tem de conseguir vencer isto, é ele. E na verdade, ele teve muita sorte, teve sintomas leves. Eu acho que a coisa mais difícil que ele encontrou foi ter que parar. E não poder ir tomar um pouco de ar fresco e passear. Mas obviamente que falar com ele me fez sentir mais seguro", desabafou, mostrando-se confiante na recuperação do progenitor.

A rainha Isabel II, de 93 anos, está hospedada no Castelo de Windsor, com o duque de Edimburgo, de 98, como precaução, e William também não esconde a preocupação pelos avós.

"Estamos a fazer tudo o que é possível para garantir que estejam isolados e protegidos disto", garantiu.

William realçou ainda as coisas boas que pensa que este 'pesadelo' vai trazer. O irmão do príncipe Harry falou sobre como a enorme redução nas viagens nas últimas semanas foi algo positivo que resultou da pandemia, e que tudo isto pode vir a mudar a maneira como as pessoas trabalharão no futuro.

William e Kate Middleton não resistiram ainda a deixar uma mensagem de agradecimento e força aos profissionais de saude que estão na linha da frente no combate a esta pandemia, e também não hesitaram em deixar conselhos para todas as pessoas se manterem fortes nesta fase difícil.

"Esqueçam o materialismo que existiu no passado. Vamos concentrar-nos em unirmo-nos. Precisamos de nos unir muito mais. Existe muita divisão por aí e espero realmente, no final de tudo isto, que sejamos uma comunidade global maior do que jamais fomos antes. Para permanecerem com uma boa saúde mental, permaneçam positivos e continuem a conversar com amigos e familiares, porque é tão crucial", disse William.

Recorde-se que William e Kate Middleton se têm mostrado solidários no combate ao novo coronavírus e fizeram um donativo de cerca de 100 mil euros.

A carregar o vídeo ...
William mostra-se com os cães a apoiar causa contra o coronavírus



Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo