“É muito bom sentir que há corações bons”: Ana Moura agradece apoio após morte do irmão

Sobrinha emociona fadista com desenho simbólico.
Ana Moura e o irmão Bruno
Sobrinha emociona fadista Ana Moura com desenho simbólico
Ana Moura e o irmão Bruno
Sobrinha emociona fadista Ana Moura com desenho simbólico
13 abr 2021 • 01:30
André Filipe Oliveira
Os dias são ainda de muita dor, mas Ana Moura tem encontrado força no trabalho e nos amigos para retomar as rotinas e seguir em frente.

Duas semanas após a morte do irmão, Bruno Moura Pereira, aos 43 anos, vítima de um acidente de mota, a fadista decidiu agradecer publicamente pelas manifestações de preocupação enviadas pelos admiradores ao longo dos últimos dias.

“Tenho recebido mensagens tão bonitas. Embora não tenha conseguido responder, gostava que soubessem que tenho estado atenta e que é muito bom sentir que há tantos corações bons por aí”, enalteceu.

No mesmo desabafo, Ana Moura deu a conhecer um presente que lhe foi entregue pela sobrinha. “É um desenho que resume o que os corações sentem. Reparem nos detalhes. O meu irmão é um sol e não uma estrela como seria presumível, onde as setas do amor circulam em ambos os sentidos”.

Embora desolada, a artista não perde a esperança e anseia por dias mais felizes. “A verdade é que o sol do dia de hoje trouxe-me imensa esperança. Desejo-vos um belo dia de sol”.

Corte com o passado
Os dias de Ana Moura têm sido agora mais focados na música. Prepara-se para apresentar o tema ‘Andorinhas’, o primeiro single do álbum que vai lançar muito em breve, e que marca o regresso aos discos.

No entanto, aqueles que acompanhavam a artista, nomeadamente a a editora Universal Music Portugal e da agência de espetáculos Sons em Trânsito, ficam para trás. Ana segue estrada a solo, após uma longa negociação com os seus representantes.

“Quando temos sucesso querem à força engavetar-nos. Dizem-nos: ‘tu és isto’. E isso pode ser uma prisão”, notou em declarações a uma publicação semanal.

Sem receios, a artista mostra-se assim com força para tomar as rédeas da carreira. “Posso fazê-lo agora. Há um novo mundo digital que o possibilita”.
Mais sobre
Newsletter
topo