Eduardo Madeira oferece ajuda para combater Covid-19: "Metam-me a conduzir ambulâncias"

Humorista revelou-se "fartinho" dos problemas impostos pela pandemia.
Eduardo Madeira
Eduardo e Joana Madeira com a filha, Leonor
Joana Madeira e Eduardo Madeira
Eduardo Madeira e Joana Madeira
Eduardo Madeira
Eduardo Madeira
Eduardo e Joana Madeira com a filha, Leonor
Joana Madeira e Eduardo Madeira
Eduardo Madeira e Joana Madeira
Eduardo Madeira
18 jan 2021 • 16:40
Eduardo Madeira, que enfrentou a Covid-19 em dezembro passado, utilizou as redes sociais para manifestar a sua revolta em relação à postura do Governo no combate à pandemia. "Conclusões da crise" foi o título dado à publicação com algumas visões do humorista para ajudar a travar o aumento de novos casos por coronavírus no País.

"Requisição Civil imediata dos hospitais privados. É o que se faz em situações de guerra. E isto é uma guerra", lê-se no primeiro ponto, criticando assim a atual posição de António Costa. "Hospitais de Campanha e forças armadas a auxiliar já", reforçou num segundo.

O comediante foi mais longe e exegiu a criação de um grupo de voluntários para ajudar os profissionais de saúde. "Criar um voluntariado especial para quem quiser ajudar. Eu quero. Metam-me a lavar corredores, conduzir ambulâncias, a fazer o que for preciso".

Embora o Governo tenho decretado o confinamento domicilário, o ator revelou-se contra. "Antes [ajudar] que ficar aqui a teclar parvoíces, chuchar Netflix e a coçar os tintins. Fartinho desta mer**".

Recorde-se, Eduardo Madeira prepara-se para ser pai pela terceira vez. Está à espera do segundo bebé, fruto do casamento com a atriz Joana Machado Madeira. Tem dois filhos, Rodrigo, de uma antiga relação, e Leonor, da atual.

Mais sobre
Newsletter
topo