Ellen DeGeneres quebra silêncio sobre abuso sexual

A apresentadora revelou pesadelo que viveu na adolescência e deixou alerta para outras jovens.
Ellen Degeneres
Ellen Degeneres
28 mai 2019 • 15:12
Ellen DeGeneres já tinha revelado que foi abusada pelo padrasto aos 15 anos, mas agora contou a história ao pormenor. A apresentadora foi uma das convidadas da segunda temporada de 'O Próximo Convidado Dispensa Apresentações com David Letterman', da Netflix, e relembrou o que sofreu às mãos de um ex-marido da mãe, Betty. 

Quando a mãe de Ellen foi diagnosticada com cancro na mama, teve de ser internada para retirar tumor e o padrasto aproveitou a fragilidade da jovem para abusá-la. "Quando ela [mãe] estava fora da cidade, ele disse-me que sentiu um nódulo nas mamas dela e precisava sentir as minhas também porque não queria incomodá-la, mas precisava sentir os meus seios", contou. 

"Como eu não entendia sobre corpos, não sabia que as mamas eram diferentes e, então, ele convenceu-me de que eu precisava fazer isso e tentou mais vezes", recordou Ellen, que é casada com a atriz Portia de Rossi desde 2008. 

Numa das vezes, a apresentadora teve de fugir. "Ele tentou derrubar a porta, eu fugi pela janela e saí a correr porque sabia que iam acontecer mais coisas... eu não queria contar à minha mãe porque queria protegê-la e isso ia acabar com a felicidade dela". 

Ellen revela que decidiu, finalmente, contar o que lhe aconteceu para alertar outras raparigas. "Eu senti-me culpada porque fui muito fraca para me defender - tinha 15 ou 16 anos. É realmente uma história horrível e a única razão pela qual estou a contar detalhes sobre ela é porque não quero que outras meninas deixem alguém fazer isso com elas". 

A apresentadora escondeu da mãe os abusos e quando lhe contou, ela não acreditou. "Eu devia ter-me protegido a mim mesma e não lhe contei durante vários anos. Quando lhe contei, ela não acreditou em mim e continuou com ele por mais 18 anos. Ela acabou tudo porque ele mudou a sua versão da história várias vezes". 

O episódio completo fica disponível, na Netflix, a 31 de maio.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo