Ex-modelo da Playboy confessa: “Tive uma depressão profunda”

Liliana Queiroz sofreu com a toxicodependência dos pais.
Liliana Queiroz
liliana queiroz
O verão de... Liliana Queiroz
Liliana Queiroz
Liliana Queiroz
Liliana Queiroz
liliana queiroz
O verão de... Liliana Queiroz
Liliana Queiroz
Liliana Queiroz
01 mai 2020 • 01:30
Vânia Nunes

Hoje com 34 anos, é uma mulher feliz e recuperada, mas Liliana Queiroz não esquece as mágoas que o passado ligado à toxicodependência dos pais lhe deixou. A antiga concorrente do ‘Big Brother VIP’ (TVI) recorda que viveu uma infância e uma adolescência infelizes, que culminaram numa profunda depressão antes de entrar no reality show, aos 27 anos.

Aos nove anos descobriu que os pais se drogavam e passou a viver com os avós paternos. "Sou uma menina do pai e foi muito difícil para mim ficar sem eles. (...) A adolescência foi mesmo a fase mais difícil da minha vida. Tinha um namorado com quem não me dava bem e continuava a viver afastada dos meus pais...", revelou, no ‘A Tarde É Sua’, TVI. Mas o pior veio aos 25 anos, já depois de ter sido modelo da ‘Playboy’, quando o pai morreu. "Estive dois anos fechada em casa. Tentava dormir o dia todo e não ver ninguém. Tive uma depressão profunda. Não pedi ajuda, mas tomava medicação. Era um vegetal...".

Até que surgiu o convite para participar no ‘Big Brother’. "Eu era preconceituosa em relação a reality shows, mas estava sem trabalho, estava gordinha, com uma depressão... e foi a minha tábua de salvação".

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo