Famosas abandonam parcerias com Prozis após controvérsia sobre o aborto

Miguel Milhão, fundador da marca, manifestou-se contra a interrupção voluntária da gravidez.
Prozis, aborto, polémica
Prozis, aborto, polémica
Prozis, aborto, polémica
Prozis, aborto, polémica
Prozis, aborto, polémica
Prozis, aborto, polémica
29 jun 2022 • 01:31
Miguel Azevedo
Depois de se assumir contra o aborto, Miguel Milhão, o fundador da Prozis (uma das maiores marcas de nutrição desportiva da Europa), vê agora várias figuras publicas, que faziam publicidade aos seus produtos, abandonarem a marca. Entre elas estão Jessica Athayde, Marta Melro, Diana Monteiro ou Rita Belinha (repórter da RTP). “Acaba hoje [terça-feira] a minha colaboração com a Prozis. E continua hoje e sempre o meu posicionamento público ao lado das mulheres, dos seus direitos e da sua saúde. E todas as vozes vão ser necessárias neste momento tão grave em que o mundo regride à frente dos nossos olhos”, escreveu Jessica Athayde.

Em reação às críticas, Miguel Milhão já explicou que apenas emitiu a sua opinião e não a da empresa, mas também já avisou que “nada vai deitar a Prozis abaixo” e que esta “não precisa de Portugal para nada”.

O empresário escreveu nas redes sociais que “os bebés voltaram a ganhar os direitos nos EUA” e que a “natureza está a curar-se”, na sequência da decisão do Supremo Tribunal dos EUA em revogar a lei que garantia o direito ao aborto.

PERFIL
Miguel Milhão fundou a Prozis em 2007, com 23 anos, com o dinheiro da venda de um carro. A ideia era combater os preços elevados nos suplementos desportivos.

Aos 30 anos já dizia que tinha “muito dinheiro” e aos 32 que estava “reformado”. Licenciado em Filosofia, colecionador de automóveis, tem três filhos e uma rede de mais de dois milhões de clientes.

No ano passado surgiu num consórcio com Marco Galinha (grupo BEL) e Gustavo Guimarães (do fundo norte-americano Apollo) a querer comprar a TVI.

Mais sobre
Newsletter
topo