Fernanda Serrano abre o coração sobre o divórcio: "Os meus filhos são fruto de um grande amor"

A atriz falou à TV Guia sobre o casamento falhado e assume que já não era feliz.
Fernanda Serrano
Pedro Miguel Ramos e Fernanda Serrano
Fernanda Serrano com os filhos
Fernanda Serrano
Pedro Miguel Ramos e Fernanda Serrano
Fernanda Serrano com os filhos
20 dez 2019 • 11:46
Aos 46 anos, Fernanda Serrano enfrentou duras batalhas que garante que a tornaram uma mulher mais forte.

A atriz decidiu abrir o coração em exclusivo à revista 'TVGuia' sobre o cancro que lhe foi diagnosticado em 2008, e sobre o recente divórcio de Pedro Miguel Ramos

"Não encaro o nosso casamento como um falhanço. Gerou os meus maiores tesouros, os meus quatro filhos", começa por dizer. "Eles são frutos de um grande amor, e não de um insucesso. Não vou dizer que estou mais feliz ou infeliz. Tomei uma decisão que tenho a certeza ter sido a melhor para todos. Tenho 46 anos, não ia desperdiçar mais metade da minha vida conformada com uma relação que já não nos fazia felizes". 

Depois deste desgosto, Fernanda garante que não fecha portas ao amor, mas, no entanto, casar novamente está fora de questão: "Não voltaria a casar com ninguém. Os amores não têm de ser vividos porque casamos ou deixamos de casar. Neste momento, esta é a verdade". 

Este será o primeiro natal depois de Fernanda Serrano e Pedro Miguel Ramos anunciarem o fim do romance, e o ex-casal já se organizou em relação ao tempo com os filhos nesta época especial. Os três filhos vão passar a noite de consoada com o pai, e o dia 25 na companhia da mãe, Fernanda Serrano. 

Fernanda recordou ainda, na entrevista à TV Guia, a luta contra o cancro da mama e garantiu ter sido vítima de negligência médica.

O rosto da TVI afirmou que nas primeiras vezes que foi ao médico, foi-lhe dada a garantia que estava tudo bem. O que lhe valeu foi a insistência da mãe e a doença acabou por ser diagnosticada. "Podia-me ter custado a vida. A minha mãe nunca ficou descansada. Disse-me logo que eu não ia sair dali sem fazer exames. Se não fosse ela, não estaria viva. A minha mãe deu-me vida duas vezes", afirmou.




Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo