Filhas choram e recusam ver Yannick Djaló

Segundo encontro mediado por psicólogas termina mal. Processo de regulação do poder paternal volta à estaca zero.
Yannick Djaló com Lyonce e Lyannnii
Yannick Djaló
Yannick Djaló com Lyonce e Lyannnii
Luciana Abreu
Yannick Djaló com Lyonce e Lyannnii
Yannick Djaló
Yannick Djaló com Lyonce e Lyannnii
Luciana Abreu
07 dez 2019 • 12:13
Há cerca de um mês, Yannick Djaló conseguiu aquilo com que sonhava há pelo menos dois anos: rever as filhas Lyonce, de oito anos, e Lyannii, de sete, fruto da relação com Luciana Abreu. Tal como havia sido decidido em tribunal, o encontro foi mediado por psicólogas especializadas, que facilitaram a conversa entre pai e filhas após tanto tempo de distância. "As meninas estavam inicialmente relutantes, mas depois tudo correu lindamente com a ajuda das psicólogas. Elas saíram de lá a chamar papá ao Yannick e muito felizes. Foi um momento muito bom", começa por contar uma fonte judicial, acrescentando que os problemas começaram no segundo encontro.

"Depois de tudo ter corrido lindamente, no segundo encontro as meninas já não quiseram entrar para estar com o pai, e mesmo com a insistência das psicólogas elas choraram para não entrar". Segundo a fonte ouvida pela ‘Vidas’, Yannick acredita que terá havido uma influência externa para esta reviravolta e fez saber isso mesmo perante as psicólogas. "Não faz sentido esta mudança de atitude quando tudo estava bem. De repente, as meninas pareciam que estavam com medo, foi uma reviravolta que não faz sentido".

Processo volta a tribunal 
Com esta reviravolta, as psicólogas que acompanham o caso não tiveram outra hipótese que não a de remeter o processo novamente à juíza responsável pelo caso.

Ou seja, até haver nova decisão judicial, o ex-futebolista irá deixar de poder manter encontros com as filhas. "Foi um retrocesso que deixou o Yannick de rastos. Finalmente, estava a recuperar o tempo com as filhas, achava que em breve tudo se iria compor e poderiam encontrar-se numa base semanal, pelo menos, e agora foi um grande balde de água fria".

Recorde-se que Djaló não vê as filhas que tem com Luciana Abreu há mais de dois anos.

Na altura, o craque jogava na Tailândia e a distância começou por ditar o afastamento, mas foram os problemas com a conhecida atriz que pioraram a situação.

Os dois não se entenderam e, com o caso sem avançar, Yannick Djaló decidiu lutar na Justiça para conseguir estar com as filhas. "É uma guerra que não tem fim. A Luciana é uma mãe extremosa e quer o melhor para as filhas, ninguém duvida, mas o Yannick tem o direito de ser pai e ela não pode negar isso. Está na altura de se consciencializar de que isto é o melhor para as filhas", diz fonte.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo