Filho de Júlia Pinheiro recorda reação dos pais à homossexualidade: "Foi de medo e raiva"

Radialista abriu o coração em conversa com Goucha: "Venho de um círculo católico e beto".
Rui Maria Pego
Rui Maria Pêgo
Rui Maria Pêgo e Manuel Luís Goucha
J
Rui Maria Pego
Rui Maria Pêgo
Rui Maria Pêgo e Manuel Luís Goucha
J
31 out 2020 • 18:50
Rui Maria Pêgo abriu o coração a Manuel Luís Goucha e regressou aos dias em que assumiu perante a família a sua homossexualidade, quando tinha 19 anos.

O radialista, filho de Júlia Pinheiro, admite que temia a reação da família, principalmente dos pais. "A reação dos dois foi de medo e de alguma raiva por eu não ter dito mais cedo", disse, acrescentando que a mãe tinha medo que o sofresse. "O grande problema dela era o que é que me aconteceria".

Ao recordar a sua juventude, Rui Maria Pêgo admite que não assumiu a sua orientação sexual mais cedo, porque viveu num meio muito conservador.

"Vivi num contexto em que em casa era livre, mas na escola não era. Venho de um círculo muito conservador, católico e beto... Se ando numa escola que persegue a diferença, e sou diferente... é um convite para sofrer. E sofri muito".

O radialista garante ainda que, apesar de os pais terem aceitado bem a sua orientação sexual, demorou algum tempo para que o assunto pudesse ser conversa à mesa de jantar. "Chegou um dia em que disse: 'É muito simples, ou vocês se começam a rir comigo ou eu vou rir-me sozinho'", garantiu sobre as brincadeiras que tentava introduzir para relativizar o assunto. 
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo