Flávio Furtado recorda sofrimento com o vírus da Covid-19

Comentador do ‘BB’ enfrentou Covid-19 e acabou hospitalizado. “Quando o médico disse que tinha pneumonia pareceu que fiquei com mais falta de ar”
Flávio Furtado
Flávio Furtado
Flávio Furtado
Flávio Furtado
Flávio Furtado
Flávio Furtado
22 fev 2021 • 12:19
Recentemente recuperado da Covid-19, Flávio Furtado, de 43 anos, lembrou em exclusivo à Vidas os dias mais difíceis que enfrentou devido à doença. "Quando fui para o hospital de urgência tinha o oxigénio a 87 (valor referência é acima de 90). Estava com muita falta de ar e tosse. Custava-me até a falar. Um casal amigo é que me ajudou. Enviou-me um oxímetro. Eu medi e eles mandaram-me logo para o hospital."
Seguiu-se uma noite de internamento e uma situação clínica mais complicada. "Quando o médico me disse que tinha pneumonia pareceu que ainda me ficou a faltar mais o ar. Acabei por ficar no hospital uma noite", continuou.

Embora negativo ao novo coronavírus, Flávio continua com sintomas leves resultado da infeção. "Continuo com tosse. Estou a terminar a medicação para a pneumonia. O médico disse-me que a tosse pode ficar mais uns meses. Agora, tenho esperar mais ou menos dois meses para voltar a fazer Raio X para ver os pulmões".

FAMÍLIA NÃO ESCAPOU AO VÍRUS
Não foi só o cronista social que enfrentou a Covid-19. Os pais também ficaram infetados. "Apanhou o meu pai, mãe e afilhada. Fui eu que lhes passei.

Felizmente tiveram sintomas muito ligeiros", sublinhou. A transmissão aconteceu durante o Natal, aquando de uma reunião familiar. "Eles só detetaram o vírus na segunda despistagem obrigatória nos Açores quando se viaja do continente. Ainda bem que assim foi, se não tinham infetado mais pessoas." Entretanto, Flávio Furtado já regressou ao ‘Big Brother’ (TVI) como comentador.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo