“Fui mordida na cara por um rato em bebé”: Irmã de CR7 recorda infância de pobreza e dificuldades

Katia Aveiro conta como crise económica e momentos de angústia uniram a família.
Cristiano Ronaldo ao lado dos irmãos Katia, Hugo e Elma e da mãe Dolores
Cristiano Ronaldo ao lado dos irmãos Katia, Hugo e Elma e da mãe Dolores
Foto: Direitos Reservados
25 jun 2020 • 01:30
Carolina Cunha
A irmã de Cristiano Ronaldo recordou o passado da família, marcada por graves dificuldades financeiras num "bairro pobre" da Madeira. Numa publicação nas redes sociais, Katia falou das memórias de uma infância dramática que uniu o clã Aveiro.

"Eu nasci numa casa velhinha, a minha cama era sustentada por tijolos e fui mordida na cara, era ainda uma bebé de meses, por um rato (não tenho vergonha nenhuma de dizer isto). Graças a Deus a minha mãe chegou a tempo", revelou a irmã de Ronaldo.

Consciente das dificuldades que a família viveu durante anos, garante que, desde cedo, aprendeu a "valorizar o pouco que tinha".

Na imagem publicada, é possível ver a antiga casa da família, onde viviam os irmãos, Cristiano, Katia, Elma e Hugo Aveiro, bem como a mãe, Dolores, e o pai, José Diniz Aveiro (morreu em setembro de 2005, vítima de cancro), feita de blocos de madeira e tijolo sem pintura, com um telhado de zinco e as paredes cobertas de chapas de metal para tapar os buracos por onde entrava a chuva e o frio no inverno.

Após cerca de 15 anos, com as conquistas de Cristiano Ronaldo no mundo do futebol, a vida da família Aveiro mudou radicalmente. Os luxos e mordomias tornaram-se habituais entre o clã.

Antiga casa do clã Aveiro
A antiga casa de Cristiano Ronaldo e da família localizava-se numa das zonas mais pobres do Funchal, na Madeira. Atualmente, a propriedade já não existe, uma vez que foi demolida.

Contudo, Katia Aveiro guarda com emoção as imagens da casa onde cresceu com os irmãos e os pais.

Apesar da falta de condições, visível nas fotografias, a família manteve-se sempre unida em momentos de grandes dificuldades económicas.

A viver em Gramado, Brasil, a empresária mostra que sente saudades da ilha que a viu nascer e crescer e faz questão de manter as suas raízes e lembranças de uma infância dramática.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo