Guerra judicial entre Bárbara e Carrilho está à beira do fim

Juíza interrompeu o período de férias e quer sentença até ao final deste mês.
Bárbara Guimarães
Bárbara Guimarães, SIC, Lisboa, Hospital de Santa Maria, Carlota, Manuel Maria Carrilho, Dinis
Foto: David Martins
04 set 2017 • 01:37
João Monteiro de Matos
Passadas as férias judiciais, as alegações finais do processo por violência doméstica que envolve Bárbara Guimarães, de 44 anos, e Manuel Maria Carrilho, de 66, recomeçam amanhã no Campus de Justiça, em Lisboa.

A juíza encarregue do caso informou que, apesar de ainda estar de férias, decidiu interromper o período de descanso para presidir àquela que espera ser a última sessão de alegações finais, visto querer ditar a sentença ainda durante este mês.

Ao que o Correio da Manhã conseguiu apurar, a próxima audiência deverá contar, pela primeira vez durante o decorrer deste processo, com a presença da apresentadora de televisão.

Recorde-se que este caso remonta à madrugada de 21 de maio de 2014, quando o ex–ministro da Cultura terá forçado, de forma agressiva, a entrada em casa de Bárbara e do ex–companheiro Kiki Neves, depois de ter recebido, às 5h38, uma chamada telefónica do filho Dinis, à data com 11 anos, a queixar-se de estar sozinho em casa com a irmã, Carlota, na altura com três anos de idade. 

Procuradora pede condenação
A procuradora encarregue do caso já tinha pedido, em julho, a condenação de quatro anos com pena suspensa e serviço comunitário  para o ex-professor de Filosofia, que sempre alegou estar inocente neste caso.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo