Harry e Meghan garantem 'renda real' de 2,7 milhões de euros

Casal continuará a receber dinheiro do Príncipe Carlos e a ter segurança paga.
Meghan Markle e Harry
Casa real pode voltar a unir-se
Frogmore Cottage
Frogmore Cottage continuará a ser a residência de Meghan e Harry no Reino Unido
Frogmore Cottage continuará a ser a residência de Meghan e Harry no Reino Unido
Harry com o filho Archie
Thomas Markle
Meghan Markle e Harry
Casa real pode voltar a unir-se
Frogmore Cottage
Frogmore Cottage continuará a ser a residência de Meghan e Harry no Reino Unido
Frogmore Cottage continuará a ser a residência de Meghan e Harry no Reino Unido
Harry com o filho Archie
Thomas Markle
20 jan 2020 • 01:30
Sónia Dias
A independência financeira dos duques de Sussex não será total. Apesar de terem abdicado dos títulos de Alteza Real e de deixarem de receber dinheiros públicos pela presença em atos oficiais, Meghan e Harry vão continuar a receber os 2,7 milhões de euros anuais gerados pelas receitas do Ducado da Cornualha, um vasto portfólio de investimentos imobiliários e financeiros, que pertence ao Príncipe Carlos, pai de Harry, e que gerou cerca de 25,3 milhões de euros em 2019.

Por definir está, ainda, quem irá suportar as despesas com segurança e deslocações dos duques. Só em segurança, o Reino Unido paga 1,1 milhão de euros por ano. Um jornal britânico, sem citar fontes, avançou que Justin Trudeau se ofereceu para pagar parte da segurança do casal real com dinheiro dos contribuintes do Canadá, mas o ministro das Finanças já negou.

Fortunas pessoais
Em junho de 2019, Meghan e Harry registaram a marca Sussex Royal, que inclui vários tipos de produtos, assim como projetos sociais voltados para o meio ambiente e educação, e que rendeu perto de 470 milhões de euros em apenas um ano. O casal também está a avaliar a sua presença em palestras. Segundo a Bloomberg, Meghan poderá pedir cerca de 120 mil euros por aparição. Já o cachê de Harry poderá chegar aos 600 mil.

Além disso, os duques de Sussex já possuem uma conta bancária bem recheada. Quando Harry completou 30 anos, em 2014, recebeu cerca de 12 milhões de euros de um fundo fiduciário criado pela mãe, a princesa Diana, de acordo com a imprensa britânica. Acredita-se, também, que a sua bisavó, a rainha-mãe, deixou ao neto milhões de libras. Os analistas de consultora Wealth X estimam a fortuna de Harry em pelo menos 22 milhões de euros.

Já a fortuna pessoal de Meghan é estimada em cerca de 4,5 milhões de euros. A duquesa ganhava cerca de 45 mil euros por cada episódio da série televisiva ‘Suits’ (entrou em 108 capítulos) e o seu blog de lifestyle, já rendeu cerca de 70 mil euros.

Frogmore custa 422 mil euros por mês
A propriedade de Frogmore Cottage, em Windsor, vai continuar a ser a residência oficial dos duques de Sussex no Reino Unido. O casal comprometeu-se a devolver aos contribuintes os cerca de 2,8 milhões de euros que gastou para tornar a mansão habitável para receber a chegada do primeiro filho, Archie, agora com oito meses.

Uma quantia, exorbitante para alguns, que terão agora de pagar. Além disso, para poderem manter a residência, Meghan e Harry terão de pagar uma renda de 422 mil euros mensais.

Entretanto, o casal já começou a analisar o mercado imobiliário no Canadá, e tudo indica que poderá ter encontrado a casa dos seus sonhos em Vancouver, mais precisamente em Kitsilano. A propriedade (fotos à esquerda), à beira-mar, tem seis quartos e cinco casas de banho e custa cerca de 24 milhões de euros. Um valor que não parece demover os duques.

Situação vai ser revista
O afastamento de Meghan e Harry da família real britânica pode não ser definitivo. De acordo com a revista ‘People’, que cita fontes da casa real, este acordo será revisto no espaço de um ano. Para já, os duques de Sussex vão perder os seus títulos na primavera e apenas marcarão presença em eventos oficiais a convite da rainha. Contudo, tudo indica que, em breve, o casal poderá voltar a fazer parte da realeza.

Archie longe da realeza
Ao tornarem-se independentes da realeza, Harry e a mulher, Meghan, fazem planos de viver entre o Canadá e os Estados Unidos acompanhados do filho, o pequeno Archie, de apenas oito meses. A distância do bebé é uma consequência que também entristece a família real.

Pai critica decisão
O pai de Meghan Markle, Thomas Markle, atacou a decisão da duquesa de Sussex, numa entrevista a um canal americano: "É dececionante. Ela conseguiu o sonho de todas as meninas e deitou-o fora".
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo