Inês Castel-Branco recorda insulto no trabalho: "Ela tem calhaus em vez de pernas"

Atriz relatou episódio durante o '5 Para A Meia-Noite' da RTP1.
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
Inês Castel-Branco
05 mar 2021 • 14:29
Foi durante o programa '5 Para a Meia-Noite, desta quinta-feira, dia 4, que Inês Castel-Branco recordou um episódio marcante da sua adolescência, bem como um roubo caricato de que foi vítima. Após ter sido questionada pela apresentadora Inês Lopes Gonçalves sobre se já foi vítima de bodyshaming (quando uma pessoa envergonha outra pelo seu corpo), a atriz afirmou que sim e relatou a história que aconteceu no início da sua carreira.

"Era mais nova e fazia moda", começou por dizer, acrescentando que tinha sido contratada para um trabalho de editorial de calções."Eles não me ficavam muito bem e assisti à produtora a ligar para a minha agência e a dizer: 'Ela tem calhaus em vez de pernas, vais ter de mandar outra pessoa'", contou. A artista ficou perplexa: "Morri, fiquei calada. Provavelmente chorei". 

A filha de Luísa Castel-Branco não se ficou por aqui e lembrou ainda um episódio caricato em que foi roubada pela própria empregada, enquanto estava grávida. "Quando estava grávida, contratei uma pessoa trabalhar em minha casa e tomar conta do meu filho. Entrevistei muitas e a melhor de todas, com o melhor currículo e com as melhores referências... eu contratei. Contratei-a e ela trabalhou em minha casa durante um ano e meio. Um dia, vou passar um fim de semana ao Alentejo e, quando volto, não encontro o meu computador, nem o computador do meu marido, nem a máquina fotográfica, nem a televisão. Tinham roubado tudo o que era de valor", disse. 

Sem nunca desconfiar da empregada, Inês revelou que pôs as "mãos no fogo" por ela. "Passaram-se mais seis meses e, um dia, estou no Facebook e encontro a página da minha empregada e encontro fotografias onde ela está identificada com a minha roupa vestida (...) Curiosamente, à quinta fotografia era uma criança do país dela rodeada pelas roupas do meu filho. Confrontei-a e despedi-a", contou. 


Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo