Irina Shayk descarta nova relação: "Se eu vivo sem o meu pai desde os 14 anos, posso viver sem um homem"

Atriz está solteira desde 2019, depois de romper namoro com Bradley Cooper
Irina Shayk
Irina Shayk é muito cúmplice com a filha em comum com Bradley Cooper
Cristiano Ronaldo e Irina Shayk
Irina Shayk e Bradley Cooper estão separados
Irina Shayk
Irina Shayk é muito cúmplice com a filha em comum com Bradley Cooper
Cristiano Ronaldo e Irina Shayk
Irina Shayk e Bradley Cooper estão separados
06 abr 2021 • 14:18
O coração de Irina Shayk continua fechado para um novo amor! A modelo russa tem estado dedicada à filha, Lea de Seine, de três anos depois de ter terminado o namoro com Bradley Cooper, em 2019. Desde então a ex-namorada de Cristiano Ronaldo nunca mais voltou a assumir um relacionamemento.

Em entrevista à revista 'Style', Irina Shayk, de 35 anos, garante que está feliz solteira e que vê o seu futuro sem namorado. "Eu nunca pensei que precisava de um homem na minha vida para me sentir completa como mulher. Talvez seja algo que tenha a ver com a perda do meu pai numa idade jovem e lidar com isso. Se eu posso viver sem o meu pai desde os 14 anos, posso viver sem um homem", afirmou. O pai da modelo morreu devido a um problema nos pulmões. 

Irina Shayk recordou que quem ocupar o seu coração tem de respeitar a sua personalidade e confessa que já teve de mudar algumas atitudes num relacionamento antigo. "Acabei de fazer 35 anos e estou a descobrir-me sendo livre e realmente a fazer o que quero fazer. E num relacionamento, para mim, é tão importante que tu faças as coisas por amor. (...) Não precisas de te moldar ou filtrar para nenhum homem. Eu tive isso num relacionamento e agora, sendo solteira, posso recuar e dizer: 'Esta é quem eu sou’. Não mudes quem tu és por alguém porque isso não vai funcionar". 

Embora se confesse feliz solteira, a ex-namorada de Bradley Cooper não deixa de lado a hipótese de voltar a apaixonar-se. "Acho que é tudo uma questão de tempo até encontrar a pessoa certa. Se acontecer, estou aberta para isso", afirma. 

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo