Irreverência máxima na Met Gala

Estrelas internacionais brilharam na cerimónia em que tudo é permitido, em Nova Iorque.
Rihanna
Rihanna
Foto: Kevin Tachman/Getty Images
09 mai 2018 • 01:30
Rute Lourenço
É o evento em que tudo é permitido. Na Met Gala, em Nova Iorque, o dress code vai do 8 ao 80 e quanto mais extravagante se estiver vestido, melhor. Este ano, os famosos voltaram a dar gás à irreverência e pisaram a passadeira vermelha com modelos ousados, criados especificamente para a ocasião.

A festa, que tinha como temática a relação entre a moda e a igreja, recebeu criações ousadas, em que os crucifixos e alguns decotes menos católicos estiveram em destaque.

Kim Kardashian foi considerada uma das mais elegantes da noite ao surgir com um vestido dourado, colado ao corpo, da casa Versace, revelando assim as novas curvas, depois de se ter submetido a uma dieta rigorosa.

Mas se a socialite chamou à atenção pela beleza, houve quem tivesse dado nas vistas por outros motivos. A cantora Katy Perry foi uma das presenças mais notadas. A estrela chegou ao Metropolitan Museum of Art, num Rolls Royce descapotável, a exibir as suas volumosas asas de anjo. Também Rihanna primou pela extravagância com o fato escolhido para a cerimónia.

Na festa, também houve lugar para o amor com vários casais a brilharem na passadeira vermelha. Foi o caso de George Clooney e Amal, Gisele Bündchen e Tom Brady e a ex-namorada de Cristiano Ronaldo, Irina Shayk, que foi acompanhada por Bradley Cooper.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo