Já pode passar férias na casa de Catarina Gouveia a partir de 190 euros por noite

Atriz colocou moradia de luxo para arrendar.
Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
casa de Catarina Gouveia
08 abr 2021 • 12:15

Catarina Gouveia e o marido terminaram, recentemente, a decoração da casa que compraram na zona da Comporta e agora decidiram rentabilizar o imóvel, que colocaram para alugar em sites de arrendamento de casas para férias. A luxuosa moradia está disponível a partir de 190 euros por noite. Conta com três quartos, piscina e todas as mordomias que a atriz não dispensa, dando ainda acesso a um spa, banho turco de uma unidade hoteleira. As imagens já estão disponíveis na internet e mostram o requinte do espaço.

Nas imagens partilhadas pelos sites de agenciamento, é possível perceber todos os detalhes da casa de Catarina Gouveia, decorada com simplicidade e glamour. A atriz admite ter escolhido móveis e utensílios com o menor impacto ambiental possível. "Recorri a madeiras e empresas que acolhem este conceito de sustentabilidade. Todos os utensílios são de madeira, não há plásticos dentro de casa. Com estes pequenos pormenores, muitas vezes acabo por acreditar que quem possa ter esta experiência, quem sabe, adquira hábitos com a vivência dentro de casa e consiga arrastá-los para dentro das próprias casas", contou ao site 'MAGG'. Os hóspedes vão ter à sua disposição sacos reutilizáveis para ir às compras, papel higiénico ou de cozinha reciclados, bem como sacos do lixo reciclados. 

A atriz confessou ainda que sempre sonhou ter um negócio próprio. "Andava com uma vontade de criar um negócio próprio que me entusiasmasse e ao mesmo tempo que existisse uma identificação direta comigo. Na altura a ideia era um pequeno negócio de restauração, onde eu pudesse cozinhar, receber as pessoas, uma vez que eu gosto mesmo de cozinhar".

Catarina e o marido decidiram investir na zona da Comporta depois do primeiro confinamento, quando sentiram necessidade de encontrar um refúgio longe de Lisboa,
Depois de ter ido passar uns dias àquela zona, apaixonou-se pelo local e decidiu avançar com o investimento. "Foi mesmo uma experiência muito decisiva para mim. Eu pensei: 'É aqui que vou investir e criar uma oportunidade de as pessoas sentirem esta minha paixão pelo que é viver integrado na natureza o máximo possível e ter uma conexão diária direta'. E foi assim que tudo começou", recordou.




Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo