Janet Jackson sentiu-se "culpada por associação" das acusações sexuais sobre o irmão

Artista fala da infância, do pai e da polémica com Michael Jackson.
Janet Jackson
Janet Jackson
Foto: Reuters
24 jan 2022 • 01:30
Miguel Azevedo
Janet Jackson admitiu, pela primeira vez, que as acusações sexuais que recaíram sobre o irmão Michael Jackson tiveram uma influência negativa na sua carreira. O desabafo consta do documentário ‘Janet’, que vai estrear no final deste mês nos Estados Unidos.

Quando questionada sobre se o escândalo do irmão a afetou, a cantora foi perentória: "Sim. Culpada por associação. Acho que é assim que se diz, não é? Eles constroem a pessoa, fazem-na crescer e depois são rápidos a derrubá-la", refere ainda a cantora durante o filme.

No documentário, dirigido por Ben Hirsch e com Janet Jackson como produtora executiva, a artista de 55 anos aborda também a polémica atuação no Superbowl, ao lado de Justin Timberlake, em 2004, quando ficou com um seio de fora, garantindo que não houve nenhum percalço com o adereço ou má intenção de Timberlake. Recorde-se que ainda recentemente também o estilista de Janet veio a publico explicar que tudo estava previsto, mas que a produção não cortou a luz como devia.

Anunciado pela primeira vez no ano passado, ‘Janet’ é um documentário onde a cantora fala da infância e de um "pai muito rígido que estava no controlo da sua vida e da sua carreira". E confessa: "Houve momentos em que eu realmente não entendia onde me encaixar". De acordo com a cantora, este era um filme que "tinha de ser feito". E garante: "Esta é a minha história, contada por mim. Não através dos olhos de outra pessoa. Esta é a verdade. É pegar ou largar. Ame-o ou odeie-o. Este sou eu."

Acusações de abusos
Em 2013, o bailarino Wade Robson acusou Michael Jackson de o ter molestado sexualmente, durante a infância, por quase 10 anos. Também um outro homem, James Safechuck, acusaria o cantor de abusos. Estes casos foram descritos no polémico documentário ‘Leaving Neverland’.
Mais sobre
Newsletter
topo