Joana do ‘Big Brother’ obrigada a contratar seguranças por temer ataque de Rui Pedro: “Sinto-me em risco”

Antiga concorrente revela que tem medo de Rui Pedro.
Joana 'Big Brother'
Joana 'Big Brother'
Joana 'Big Brother'
Joana Albuquerque
Joana Albuquerque
Joana 'Big Brother'
Joana 'Big Brother'
Joana 'Big Brother'
Joana 'Big Brother'
Joana Albuquerque
Joana Albuquerque
Joana 'Big Brother'
16 dez 2020 • 18:34

Os ânimos continuam ao rubro dentro e fora da casa do ‘Big Brother – A Revolução’. Após ter sido alvo de ameaças, Joana Albuquerque marcou presença no programa ‘Última Hora’ desta terça-feira, e revelou porque decidiu apresentar queixa contra Rui Pedro.

"Cheguei à gala complemente tranquila, não abordei o Rui, de maneira alguma. Esperei pela Carina e pelo Carlos, que vieram ter comigo. Estava a conversar com a Carina, quando o Rui Pedro chega e começa a ameaçar-me. Não quero especificar o que ele disse. A Carina tentou acalmá-lo, ele afastou-se. Entretanto, o Carlos veio ter comigo para saber o que se tinha passado e eu expliquei-lhe. O Rui Pedro voltou, novamente, a ameaçar-me. Desta vez, não só a mim, mas, também aos meus pais, à minha família…", começou por dizer.

A antiga concorrente do reality show acabou por chamar as autoridades ao local: "No meio disto tudo, estou super nervosa, a tremer por todos os lados, mas consegui enviar uma mensagem à Andreia, que ainda não tinha chegado, à minha mãe e ao meu pai, entre outras pessoas. Entretanto, a Andreia chegou e o Rui está cá fora a mandar ‘bitaites’, e eu, bastante nervosa, com o pessoal da produção ao meu lado. Depois a Carina puxou-me para ir para o camarim com ela e no caminho para o camarim chamei a GNR a pedido da minha mãe, que se estava a passar completamente ao telefone com o que eu tinha dito. Eu, ele e a Carina fomos identificados".

A jovem de 21 anos referiu ainda que há testemunhas das ameaças e que as mesmas foram filmadas pelas câmaras de vigilância: "Não é a primeira pessoa que o Rui ameaça e ele próprio já referiu, no programa, que espancou uma pessoa quase até à morte".

"Já vivi um terror dentro do programa e acho que podia ter ficado lá dentro. Neste momento, estou a gastar dinheiro em seguranças, porque me sinto em risco ao andar sozinha na rua", rematou.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo