Joana Latino arrasada por cantor Agir: "Falta de respeito e de noção"

O artista não gostou das declarações da comentadora do programa 'Passadeira Vermelha' sobre a postura de alguns artistas perante a crise que estão a atravessar, acusando-a de "falta de sensatez".
Agir
Joana Latino
Agir
Joana Latino
20 mai 2020 • 16:09
Joana Latino reagiu à crise que muitos artistas estão a atravessar nesta fase de pandemia, ao comentar o assunto no 'Passadeira Vermelha', mas os comentários não foram bem vistos aos olhos de Agir.

Durante a emissão do programa, o rosto da SIC começou por avaliar a situação acusando os artistas de "inércia".

"Os artistas em vez de fazerem tantos discursos miserabilistas, catastrofistas e de autocomiseração, deviam mexer-se. E uma série desses artistas que vivem em  autocomiseração", atirou Joana Latino, ao comentar o trabalho de Bruno Nogueira, que conquistou milhares de espectadores, elogiando-o.

"Isto é que é ter amor à profissão e ter sentido de responsabilidade e de utilidade", frisou ainda, defendendo que outros artistas deviam olhar para o trabalho do humorista como exemplo.

"Querida Joana. Fiquei um pouco preocupado com o seu comentário de há dias. Acha que o que se deve fazer é arregaçar as mangas e ir à luta", começou por dizer Agir nas redes sociais.

Para Agir, o comentário da jornalista foi "uma total falta de respeito e de noção até, achar que todos artistas se encontram em pé de igualdade com o inquestionavelmente talentoso Bruno Nogueira e que a única coisa que os separa é a falta de força de vontade e criatividade para não reclamarem tanto e fazerem-se à vida". 

O cantor destacou que "artistas são também e principalmente os grupos de teatro amador, as companhias de bailado, coreógrafos, pintores, artistas plásticos, escritores, argumentistas, guionistas, encenadores, realizadores, agentes, promotores, músicos, técnicos de som, de luz, roadies, câmeras, perchistas, produtores, maquilhadores, cabeleireiros, figurinistas".

"A maioria das pessoas não faz ideia, mas a Joana, como jornalista que é, tem a responsabilidade acrescida de saber as dificuldades que este sector está e virá a passar. Acho que caiu-lhe muito mal, perante uma situação tão inesperada como esta e que economicamente falando ainda mal começou, opinar: Façam mais e falem menos. Espero vê-la com mais sensatez no discurso daqui para a frente. Os artistas (todos) agradecem", terminou.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo