João Soares dedica texto a Maria João Abreu: "Eras tu que me carregavas baterias"

Viúvo da atriz recordou o quanto a amada gostava de praia
Maria João Abreu e o namorado, João Soares
João Soares e Maria João Abreu
João Soares e Maria João Abreu
João Soares e Maria João Abreu
João Soares e Maria João Abreu
João Soares ampara mãe e irmã de Maria João Abreu
Maria João Abreu e o namorado, João Soares
João Soares e Maria João Abreu
João Soares e Maria João Abreu
João Soares e Maria João Abreu
João Soares e Maria João Abreu
João Soares ampara mãe e irmã de Maria João Abreu
26 mai 2021 • 17:55
Quase a completar duas semanas da morte de Maria João Abreu, João Soares voltou a dedicar um texto à mulher. Esta quarta-feira, o viúvo recordou as idas em casal até à praia.

"Ficou tanto Sol por apanhar... Meu amor, tinhas ainda tanto Sol para apanhar. Se havia momento que fosse teu, apenas teu e exclusivamente teu, era aquele em que, com todo o cuidado, pompa e circunstância, estendias a toalha na areia seca da praia, soltavas as alças do biquíni (porque marcas nos ombros, nem pensar), e deitavas esse teu corpo lindo, a usufruir do Sol, deixando a luz espalhar-se na pele. E depois, giravas sobre ti, para que o outro lado do corpo sentisse o mesmo... E nesses momentos eras apenas tu", começou por escrever. 

Os dias solarentos que imperam em Portugal fizeram João Soares recordar o quão Maria João Abreu gostava de desfrutá-los. "Agora, com a tua partida e com a chegada dos dias cheios de luz, penso nisto. Em como esses momentos de paz te eram tão importantes. Em como era assim que recarregavas baterias. E te renovavas para a vida. Enquanto eu esperava ao teu lado, em silêncio (porque nem uma palavra proferias, para que não te distraísses desse momento tão teu), que te decidisses levantar e dar um mergulho. E lá ia eu contigo. Sempre".

A atriz morreu a 13 de maio, duas semanas de ter sofrido um aneurisma cerebral. O viúvo garante que Maria João Abreu se tornou no seu sol. "
E o que o Sol te fazia a ti, tu fazias-me a mim. Eras tu que me carregavas baterias. Que me renovavas a vida. E que continuarás a fazer, mas uma outra forma, que terei ainda de descobrir. Que terei ainda de aprender a sentir. Porque eras, és e serás sempre o meu Sol. O meu Sol, a minha João", rematou.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo