Jornalista da TVI condenado por agressão ao ex-namorado

André Carvalho Ramos vai pagar uma multa de 2800€ e ainda 1500 € a Emanuel Monteiro
André Carvalho Ramos
Emanuel Monteiro e André Carvalho Ramos
Emanuel Monteiro
André Carvalho Ramos
Emanuel Monteiro e André Carvalho Ramos
Emanuel Monteiro
18 nov 2020 • 15:38
O jornalista da TVI André Carvalho Ramos foi condenado a uma pena de 400 dias de multa (2800 euros) por três crimes de ofensa à integridade física simples ao também jornalista do canal Emanuel Monteiro. Terá ainda de pagar 1500 euros de indemnização ao ex-namorado (este pedia 6 mil euros), com quem manteve uma relação entre junho de 2015 e junho de 2017.

De acordo com a sentença a que o CM teve acesso, o Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa considerou provado que o "casal tinha frequentes discussões motivadas por ciúmes" e que tal levou André a agredir fisicamente Emanuel em várias ocasiões: por empurrão e beliscões. "O arguido agiu com o propósito alcançado de provocar ferimentos no ofendido, bem sabendo que as suas condutas eram suscetíveis de o molestar na sua saúde e integridade física, fazendo enquanto o mesmo foi seu namorado e mesmo após o fim da relação".

Ainda assim, o processo foi desqualificado de violência doméstica por falta de prova. O tribunal considerou que foram "encontradas várias incoerências/inconsistências e irrazoabilidades no conteúdo" apresentado pela acusação, que "fragilizam  de forma irreversível a sua versão dos acontecimentos".

Ficaram ainda por apreciar mensagens e fotografias que a defesa de André Carvalho Ramos apresentou contra Emanuel Monteiro, por considerar que configuram violência doméstica.

"Sempre procurei lutar pela verdade. Os comportamentos abusivos, em qualquer circunstância, devem ter consequências. Esta sentença é, de alguma forma, o reflexo disso mesmo. Estou sereno e este é um capítulo encerrado na minha vida", afirma ao CM Emanuel Monteiro.

Já André Carvalho Ramos considera que "não se pode brincar com um crime tão grave como a violência doméstica". "Quiseram denegrir-me acusando-me de violência doméstica. Esses factos não ficaram provados. Emanuel Monteiro mentiu e o próprio tribunal apontou-lhe incoerências que fragilizaram de forma irreversível a sua versão dos factos".

Ao que o CM apurou, os advogados de defesa e acusação ainda estão a avaliar se vão ou não recorrer da sentença.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo