José Alberto Carvalho enfrenta momentos de dor

Pivô da TVI perdeu familiar, mas viu-se impedido de se despedir devido às novas restrições para cerimónias fúnebres.
Jornalista José Alberto Carvalho
TVI, Lisboa, José Alberto, Main, Facebook
Foto: Duarte Roriz / Correio da Manhã
05 abr 2020 • 15:55
No último domingo, José Alberto Carvalho abriu o coração aos portugueses ao partilhar a sua dor. Perdeu um familiar "importante", mas viu-se impedido de participar nas suas cerimónias fúnebres, devido às medidas de restrições impostas pelo Governo, que impossibilitam o aglomerado de pessoas neste tipo de cerimónias. O relato do pivô aconteceu nos minutos finais do ‘Jornal das 8’ e emocionou o público: "Foi sepultada uma pessoa da minha família, que sempre foi muito importante na minha vida. Sucumbiu aos 92 anos. Não foi vítima da Covid-19, mas o vírus impediu-me que me despedisse dela. A cerimónia fúnebre foi reduzida, meia dúzia de pessoas. Sem um abraço de conforto ou o pegar da mão. O vírus rouba-nos esta exigência moral de nos despedirmos dos nossos mortos. Nem nos campos de batalha mais sangrentos se deixam os corpos para trás."

Longe da família
Pelo facto de estar ao serviço da TVI, José Alberto Carvalho está impossibilitado de abraçar os filhos e os pais, Georgina e Mário Carvalho. "Continuarei impedido de sentir o toque dos meus filhos por mais duas semanas. Para muitos a felicidade passou a ser simples. O desejo infinito de abraçar os nossos amores", fez saber José Alberto Carvalho.

Embora à distância dos progenitores, o jornalista mantém o contacto diário com estes por estarem incluídos no grupo de risco. A mãe teve um cancro. O pai uma pneumonia e um AVC. Há quase três anos, sofreram com o drama dos incêndios que devastaram o País.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo