José Carlos Malato recorda a dor da perda do pai

Apresentador diz que ainda está a aprender a viver sem o pai, mas garante estar mais próximo da mãe, com quem esteve de costas voltadas. “Já estamos muito mais apaziguados”,conta
22 fev 2020 • 17:49
O ano de 2018 vai ficar para sempre marcado na vida de José Carlos Malato. O apresentador perdeu o pai, chateou-se com a mãe e terminou o relacionamento com João Caçador. A completar dois anos da morte de António, o apresentador da RTP1 recorda com carinho o pai.

"Há muita coisa que eu faço em memória dele e tenho muitas saudades. Eu penso nele todos os dias", afirma. Malato revela que António deixou um forte legado e que já usa expressões iguais ao progenitor. "Às vezes, falo e brinco com ele. Dou por mim a ter muitas expressões que eram dele e que me saem naturalmente".

Malato recorda com carinho uma situação caricata que viveu com o pai. "Eu lembro-me que uma vez o meu pai, que já estava no fim, e eu brinquei com uma expressão que ele usava muito: ‘Nem o pai morre, nem a gente almoça’ e ele reclamou. Há muita coisa que está relacionada com ele e que eu faço questão de dizer, mas há umas que me saem naturalmente".

Apesar de já manter uma boa relação com a mãe, Malato recorda o período em que estiveram de relações cortadas. "Foi uma forma de cada um viver o luto. Mas agora já estamos muito mais apaziguados e felizes".
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo