José Castelo Branco enfrenta nova polémica com nome na lista de devedores ao estado

Socialite diz à ‘Vidas’ desconhecer a origem da situação.
José Castelo Branco
José Castelo Branco
José Castelo Branco
José Castelo Branco e Betty Grafstein
José Castelo Branco e Betty Grafstein
José Castelo Branco
José Castelo Branco
José Castelo Branco
José Castelo Branco e Betty Grafstein
José Castelo Branco e Betty Grafstein
09 mai 2021 • 16:57
O socialite José Castelo Branco, de 58 anos, está na lista de devedores ao Estado. Em causa está o incumprimento de pagamentos relacionados com obrigações tributárias. O nome do marchand configura na tabela de pessoas singulares com dívidas superiores a 7500 euros até 25 mil euros.

No ano passado, Castelo Branco já havia admitido a situação de incumprimento no programa ‘5 Para a Meia Noite’. "Eu pago atualmente as taxas nos Estados Unidos. Em Portugal estou cheio de dívidas. Atualmente, acho que não tenho atividade aberta. Não tenho ideia".

Depois da intervenção, José escusou-se a mais pormenores sobre a sua situação financeira. No entanto, há agora este problema em curso que pode levar à penhora de bens que estejam em nome do socialite.

A ‘Vidas’ entrou em contacto com Castelo Branco a fim de perceber o teor das informações tornadas públicas pela Autoridade Tributária, que se revelou surpreso com a situação. "Não sei... Não faço mesmo ideia do que seja. O único problema que eu tenho agora é com a Betty. A senhora que nos tomou conta da casa de Sintra, a Bebé Cabral, deixou-nos dívidas, mas eu já tinha explicado isso. Coitada da Betty, sem ser perdida e achada, de repente ficar com dívidas, e quem tem de tratar desse assunto sou eu", explicou.

Mais à frente, o socialite recordou uma outra "asneira" relacionada com incumprimentos fiscais. "Não fechei uma empresa que eu abri em 2013. Depois fechei. Tive de pagar um dinheirão à Segurança Social, porque eu nunca tomo das coisas como devo ser."
"eu sou rico do quê?"

Nos Estados Unidos, José Castelo Branco afirma estar no "exílio" e por enquanto sem trabalho. Tem em curso algumas parcerias publicitárias com uma marca portuguesa de suplementação desportiva e uma outra empresa de apostas online. É sobretudo nas redes sociais que o socialite dá a conhecer atualmente as suas principais fontes de rendimento, em especial durante os diretos no Instagram com os admiradores.

Recentemente, o curador ficou aborrecido com alguns comentários dos seguidores. "O Zé não precisa de trabalhar porque é rico." A afirmação revoltou o socialite, que optou por retirar o admirador da conversa em direto.
"Fico muito melindrado com esses comentários, porque as pessoas não têm noção do que estão a dizer. Eu sou rico do quê? Eu sou rico do meu trabalho. Quando me casei com a Betty [em 1996] aparecia em várias colunas sociais. As pessoas associam-me à televisão e que casei com uma milionária. Eu ia estar casado com a Betty para quê? Para pagar as minhas contas", lamentou à ‘Vidas’.

Atualmente, José gostava de regressar à televisão. Antes da pandemia tinha algumas ideias "apalavradas" com Nuno Santos, diretor-geral da TVI, que ficaram, entretanto, sem efeito. "A ideia dele era eu já ter participado no primeiro ‘Big Brother’, mas a partir de Nova Iorque e em setembro regressaria em grande, mas ficou tudo em águas de bacalhau. É assim... As coisas mudam." No entanto, o socialite não desistiu e já tentou marcar uma reunião com Cristina Ferreira, que atualmente detém o cargo de diretora de Entretenimento e Ficção do quarto canal. "Mandei-lhe uma mensagem a dizer que precisava de falar com ela, mas não me respondeu. Não tenho nada contra a Cristina, pelo contrário. Sempre respeitei a Cristina. Sempre que ela me chamou, eu aceitei. Fiz uma produção para a revista dela e correu tudo muito bem. Foi fantástica, pagou tudo direitinho, o meu cachê, as viagens na primeira classe."

Sem propostas da televisão, o certo é que Castelo Branco continua a ser aposta. A TVI repetiu há três semanas o ‘Roast’ e alcançou a liderança nas audiências. "Emitiram o programa pela quarta vez. Isto quer dizer alguma coisa", alertou o socialite.

POLÉMICAS COM AUTORIDADES
Em 2017, Castelo Branco viu-se a braços com algumas polémicas. Foi noticiado que estaria impedido de regressar a Portugal, mas o marchand viajou dos Estados Unidos ao País e deslocou-se ao posto da Guarda Nacional Republicana para afirmar publicamente a inexistência de qualquer ordem de detenção. Em causa estaria a condenação num processo contra uma ex-empregada doméstica, ficando sujeito ao pagamento de uma indemnização de 28 mil euros. A situação foi posteriormente resolvida.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo