Justin Bieber luta contra doença rara e sem cura

O cantor revelou que os últimos anos têm sido duros.
Justin Bieber
Justin Bieber
Foto: Instagram
09 jan 2020 • 19:20
Justin Bieber esclareceu os fãs depois dos rumores que davam conta de que estaria a passar por um problema de saúde, depois de já ter revelado sofrer de depressão

"Enquanto muitas pessoas insistiam em dizer que o Justin Bieber parecia estar na m****, que consumia drogas, etc, essas mesmas pessoas falharam, não atingiram que fui recentemente diagnosticado com a doença de Lyme", começou por contar o jovem de 25 anos, referindo-se à doença rara que afeta sobretudo a pele e as articulações.

A doença foi transmitida por uma bactéria depois de Justin Bieber ter sido picado por uma carraça. O problema de saúde tem te ser controlado com o uso de antibióticos que variam de acordo com os sintomas do paciente. 

O cantor revelou, ainda, que uma outra doença contribuiu para fragiliza-lo e debilitá-lo a vários níveis: "Além disso, sofro de um caso sério e crónico de mononucleose, que afeta a minha pele, o funcionamento do meu cérebro, a minha energia, e o estado de saúde em geral", explicou o marido de Hailey Baldwin.

Ao partilhar o testemunho, Justin Bieber tenta tranquilizar os fãs e garante voltar em breve, "melhor que nunca", apesar de admitir que "têm sido uns anos difíceis". No entanto, espera "conseguir o tratamento certo para ajudar a tratar esta doença, até agora incurável"

Perante o desabafo, Justin Bieber recebeu milhares de mensagens de apoio e força por parte dos seguidores. Apesar da preocupação, o cantor mostra-se esperançoso e pensa entrar em digressão este ano.

Todos os detalhes sobre o drama que o músico tem enfrentado poderão ser vistos no documentário sobre a sua vida que vai ser lançado no dia 27, no Youtube. 


A companheira, Hailey Baldwin, também escreveu uma mensagem nas redes sociais sobre o assunto: "Para todos os que estão a tentar menosprezar a seriedade da doença de Lyme. Por favor, façam a vossa pesquisa e ouçam as histórias de pessoas que sofrem com isto há anos. Fazer pouco e menosprezar uma doença que não se conhece não é a forma certa, basta educarem-se a vós mesmos."
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo