Katia Aveiro partilha desabafo após morte do tio: "O tempo não espera por ninguém"

Irmã de Cristiano Ronaldo mostrou-se de rastos com a perda do tio, irmão de Dolores Aveiro.
Katia Aveiro
O irmão de Dolores Aveiro
Dolores Aveiro
Katia Aveiro
Katia Aveiro
Katia Aveiro e Cristiano Ronaldo
Katia Aveiro
O irmão de Dolores Aveiro
Dolores Aveiro
Katia Aveiro
Katia Aveiro
Katia Aveiro e Cristiano Ronaldo
16 mar 2021 • 18:12
Após ter comunicado a morte do tio, esta terça-feira, nas redes sociais, Kátia Aveiro partilhou um desabafo, onde lamentou a perda do familiar. "Quando era criança quase todos os domingos eu e minha família estávamos reunidos, mãe, pai, irmãos, primos, tios, avós... (morávamos num raio de 5 km perto uns dos outros) jurava que ia ser assim para sempre... (Como a gente não sabe nada da vida)", começou por escrever na sua conta de Instagram. 

A irmã de Cristiano Ronaldo mostrou-se de rastos com a morte do irmão da mãe Dolores"Mas, hoje partiu mais um membro de nós. E vai ser assim um pouco todos os anos. Daqui em diante vai ser assim esta dura realidade, a morte. E a gente cresceu sem saber disso por um bom tempo, e o destino mudou o rumo de tudo. Já estava tudo programado, mas nós não sabíamos, nós vivíamos felizes sem esse ponto concreto do que ia acontecer mais para a frente a frente é hoje, é amanhã, é depois de amanhã e é daqui em diante". 

"É uma m**** o Covid. É uma m**** cair e morrer ali mesmo. É uma m**** o cancro. É uma m**** tantas doenças. É uma m**** não abraçar. É uma m**** não estar mais naquela infância", lamentou.

"Vale a memória e vale quem ainda está aqui. É uma m**** entender que é assim mesmo a vida, é uma m**** os abraços que não foram dados, é uma m**** não ter o pensamento de uma criança... O tempo não espera por ninguém. Mas o amor alimenta e prevalece, porque só ele pode salvar o mundo", continuou. 

No final, Katia desculpou-se pelas palavras fortes: "Desculpa esta m**** toda. Mas hoje estou lá atrás ... No tempo da minha infância onde eu não tinha malícia nenhuma. E onde não doía tanto. E estavam todos aqui. Estava perfeito"



Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo